Ir para conteúdo

Da creche à universidade: São Paulo avança no ensino público

A educação é prioridade em São Paulo. Por isso, temos o ensino mais bem avaliado do País. Da creche à universidade, aliamos iniciativas inovadoras e trabalho coeso com os professores. O resultado é o sucesso do aluno na escola e na vida.

600 novas creches em 550 municípios do Estado

Com o Programa Creche Escola, o Governo do Estado auxilia os municípios para a construção de 600 novas creches em mais de 550 cidades, priorizando as localidades que mais necessitam.

Com mais de R$ 1 bilhão de investimentos, as unidades contam com berçários, fraldários, lactários, refeitórios e toda a infraestrutura necessária para atender crianças entre 0 e 6 anos.

Mais de 281 unidades já foram entregues. Veja aqui as localidades atendidas e o estágio das obras.

As mães têm tranquilidade de deixar seus filhos com equipes especializadas e preparadas, e podem retomar suas atividades pré-gravidez.

É o caso de Lidiane Morais, de Iacanga (SP), nutricionista e mãe de Beatriz, de dois anos e meio de idade. Com a creche recém-inaugurada, Lidiane retomou o trabalho interrompido, feliz de saber que a filha está em boas mãos.

Escolas de Tempo Integral: seu filho aprende mais e melhor

 

O Governo do Estado mais que dobrou o número de estudantes em escolas de Tempo Integral. São 152 mil – crescimento de 92% em relação a 2011. As unidades saltaram de 309 para 538 no período.

Alunos das escolas de tempo integral têm desempenho melhor em avaliações como Ideb e Idesp. Contam com orientação de estudos, preparação para o trabalho e auxílio na elaboração de um projeto de vida. Os professores atuam em regime de dedicação exclusivo e recebem gratificação de 75% em seu salário.

Além disso, mais 54.589 alunos estudam em tempo integral nas Etecs, no Ensino Técnico Integrado ao Médio, totalizando mais de 200 mil alunos estudando em período integral na rede estadual de SP. Saiba mais sobre as Escolas de Tempo Integral aqui.

Os alunos vivem experiências como a de Nathália Souza de Oliveira, 18 anos, que concluiu o ensino médio em 2017 na Escola Estadual de Ensino Integral Alexandre Von Humboldt, em São Paulo – capital.

Nathália desenvolveu, durante as atividades eletivas, um aplicativo para celular com monitoramento cardíaco para sonâmbulos, que evita acidentes domésticos.

Sua inovação ganhou prêmio na Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), da Escola Politécnica da USP, e até reportagem na inglesa BBC leia aqui.

Nathália passou em medicina na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Como quer ficar em São Paulo, prepara-se para o vestibular da USP. Seu objetivo é levar a tecnologia para dentro dos hospitais. Muito sucesso, Nathália!

Etec/Fatec: alunos próximos da escola e do emprego

Qualquer estudante de São Paulo está a menos de uma hora de distância (80 km) de uma Etec ou Fatec, a maior rede pública de ensino técnico e tecnológico do Brasil.

As unidades do Centro Paula Souza estão presentes em 292 municípios (ETECs, Fatecs ou classes descentralizadas). Desse total, 54 cidades contam com Etecs e Fatecs.

Desde 2011, o número de alunos matriculados nas Fatecs quase dobrou: de 46,3 mil para 80 mil (aumento de 86,7%). Em 2017, são 11 mil matrículas a mais nas Etecs na comparação com 2010.

Estudantes das Etecs e Fatecs estão também próximos do emprego. Nas Etecs, 3 em cada 4 alunos conseguem emprego até 1 ano depois de formados. Nas Fatecs, 9 em cada 10 alunos conseguem emprego até 1 ano depois de formados.

O altíssimo índice de empregabilidade é resultado da visão estratégica do Governo do Estado, que leva em conta a vocação produtiva da cidade ou região ao definir os cursos das unidades.

Isso muda a vida de alunos como o Rafael Soares, que cursou Etec e Fatec perto de sua casa, na cidade de Garça, no interior do Estado, e teve a oportunidade de trabalhar com Agricultura de Precisão numa fazenda nos Estados Unidos (conheça mais sobre o Rafael aqui).

Veja a relação dos municípios com Etec aqui e Fatec aqui.

Univesp: tecnologia a favor da educação para todos

 

O Governo do Estado criou um modelo de ensino verdadeiramente inovador. Primeira e única universidade virtual pública do País, a Univesp leva o padrão USP de ensino superior para 35 mil alunos das regiões mais carentes de São Paulo.

A excelência no ensino é garantida por professores da USP, Unesp e Unicamp que compõem o quadro dos docentes da Univesp.

Em 2018, serão 35 mil estudantes matriculados nos 244 polos da Univesp, 85% deles oriundos de escolas públicas.

A Univesp é um modelo que pode e deve ser replicado em todo país, aproveitando os melhores quadros das faculdades para levar ensino superior gratuito e de qualidade para quem mora longe dos grandes centros.

Conheça os cursos oferecidos aqui. Veja conteúdo aberto da UnivespTV aqui (canal YouTube)

A Univesp aproxima estudantes como Rafael Pereira da Silva, 28 anos, do sonho de cursar o ensino superior de qualidade. Morando em Bilac, no interior de São Paulo, que não tem universidade, Rafael cursa Engenharia de Produção.

Ele estuda como e quando quer, tem assistência permanente dos professores e participa de encontros presenciais em Araçatuba, a apenas 20 km, a cada 15 dias. E está cada dia mais próximo da profissão que escolheu!

Campanhas