Vigilância Sanitária-SP faz balanço do trabalho no Dia da Discussão sobre o Sangue

Aviso de Pauta - Quarta-feira, dia 10

qua, 10/05/2000 - 16h50 | Do Portal do Governo

A qualidade do sangue tem sido uma prioridade do Centro de Vigilância Sanitária de São Paulo. O Estado foi o primeiro no país, a tornar obrigatórios os testes para detectar a infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) e o vírus da Hepatite C.
Desde que foi criado, em 1986, o CVS fez inúmeras inspeções em Serviços Hemoterápicos para assegurar a qualidade do sangue e dos hemoderivados. A Vigilância Sanitária conhece o fluxo de exames sorológicos realizados pelas diversas unidades hemoterápicas espalhadas pelo Estado e controla também as transferências de sangue e componentes feitas entre elas.

Resultado tem sido positivo

Em 1998, dos 441 serviços de sangue, dezoito foram autuados e três interditados totalmente. No ano passado, vinte serviços foram autuados e sete fechados. Já na última semana, foi realizada interdição parcial (setor de coleta) do Banco de Sangue da Santa Casa de Ubatuba.
O sangue é, no novo milênio, a principal preocupação da Organização Mundial da Saúde. Cada vez mais ele é necessário para salvar vidas. O número de acidentes que resultam em traumas e ferimentos graves faz do sangue um elemento precioso; mas, ao mesmo tempo, se mal tratado, um risco na transmissão de doenças infecciosas e nas ocorrências de reações transfusionais. Garantir a qualidade do sangue é uma atribuição do prestador do serviço hemoterápico, um direito do cidadão e obrigação da Vigilância Sanitária a participação efetiva na tarefa de avaliar e controlar estas unidades.
Durante as palestras do Dia de Discussão sobre o Sangue, Marisa Lima Carvalho, coordenadora do CVS – Centro de Vigilância Sanitária-SP estará fazendo um balanço da atuação do setor no Estado de São Paulo.

Data: Quarta, dia 10 de maio
Horário: A partir das 14 horas
Local: Anfiteatro Paula Souza da Faculdade de Saúde Pública
Av. Dr. Arnaldo, nº 715 – Cerqueira Cesar-SP.