Serra inaugura dois piscinões em Osasco

Governador anunciou ainda o lançamento do edital de mais três obras semelhantes, totalizando investimentos de R$ 63,5 milhões

qui, 05/04/2007 - 14h21 | Do Portal do Governo

O governador José Serra inaugurou na manhã de hoje, 5, os reservatórios de retenção de Bonança e Rochdalle, em Osasco. Conhecidos como piscinões, os reservatórios atuam na contenção do fluxo de água e evitam enchentes. O governador anunciou ainda o lançamento do edital de mais três obras semelhantes, totalizando investimentos de R$ 63,5 milhões. 

“Estamos inaugurando duas obras que se destinam a melhorar as condições de vida urbana e das pessoas. Essa é uma região muito assolada pelas enchentes”, explicou Serra. O governo do estado destinou R$ 6,1 milhões para a construção do piscinão de Bonança. O de Rochdalle e a canalização do córrego Ribeirão Vermelho, ambos parte de um único contrato, totalizam investimentos da ordem de R$ 20,1 milhões. Destes, R$ 9,5 são recursos do Ministério de Integração Nacional e R$ 10,6 milhões são do governo do Estado. 

A canalização do  Ribeirão Vermelho vai consumir R$ 17,7 milhões. A obra terá um quilômetro de canal a céu aberto e 400 metros em túnel sob a rodovia Castello Branco, com previsão para conclusão dos trabalhos em junho. 

O piscinão de Bonança tem capacidade para 62 mil metros cúbicos de água e beneficia 30 mil moradores dos bairros de Jardim Bonança, Jardim Vieira, Paraque Mazzei e Jardim Rochdalle. Já o piscinão de Rochdalle comporta 25 mil metros cúbicos e beneficia outros 30 mil moradores dos jardins Rochdalle, Aliança, Anunciato e Piratininga. 

A manutenção dos piscinões inaugurados hoje ficará a cargo da prefeitura de Osasco. “Conheço a experiência que temos na capital e em outros lugares. Piscinão sujo não adianta nada e é um fator de deterioração da vida urbana. Porque aí vai ter sujeira, ratos, mau cheiro, perturba a vida da região. A limpeza é muito importante”, frisou Serra. A solenidade contou com a presença da secretária estadual de Energia e Saneamento, Dilma Pena. 

O prefeito de Osasco, Emídio de Souza, ressaltou a importância do diálogo entre diferentes esferas de governo. “Foi uma parceria vitoriosa entre governo do estado, que construiu a obra, a prefeitura de Osasco que desapropriou a área, e também do governo federal, que liberou recursos”.

A região metropolitana de São Paulo conta com 38 piscinões: 34 deles estão em funcionamento (20 construídos pelo governo estadual e 14 por prefeituras), dois começaram a operar hoje e os dois últimos dependem apenas da inauguração. Ambos ficam na bacia do Alto Tamanduateí (piscinões Ford e Oratório). O investimento total até agora é de R$ 230,17 milhões. 

Novas obras 

No evento, o governador anunciou o lançamento de editais de mais três piscinões. O Taboão vai atender 100 mil moradores das regiões de Vila Esther, Jardim Maravilha e Jardim Vera Lúcia em São Bernardo do Campo;  das vilas Santa Luzia e Irene em Diadema e também dos moradores da travessia da avenida 31 de março. A obra terá como endereço o trecho entre as ruas Polônia e Birmânia, retendo as águas do córrego Taboão, com capacidade de 180 mil metros cúbicos. Serão investidos R$ 14 milhões. 

Quase R$ 37 milhões serão gastos na estrada do Campo Limo para conter o córrego Pirajuçara e criar o piscinão Sharp. O número de moradores atendidos beira os 500 mil (Jardim Nadir, Vila Olga, Vila Sônia e Jardim Taboão em São Paulo; Jardim Glória, Jardim Bontempo e Parque Santos Dumont em Taboão da Serra). 

Por fim, o piscinão Anhangüera, com volume útil de 105 mil metros cúbicos, vai beneficiar 50 mil habitantes de Osasco (Rochdalle, R. Ayrosa e Piratininga) e São Paulo (Jardim Mutinga, Vila Piauí e Vila Marisa). O valor de licitação da obra é de R$ 13,5 milhões. 

Manoel Schlindwein