Saúde: Estado inicia distribuição de vacinas contra rotavírus

Nesta quarta-feira, dia 15, Secretaria Estadual da Saúde entrega 15 mil doses à Prefeitura. Na sexta-feira, cidade recebe outro lote de vacinas, total

qua, 15/02/2006 - 8h58 | Do Portal do Governo

A Secretaria de Estado da Saúde entrega nesta quarta-feira, 15 de fevereiro, 15 mil doses de vacinas contra rotavírus à prefeitura de São Paulo. É a primeira leva das 29 mil doses que serão repassadas pela Secretaria à cidade_ a segunda etapa da distribuição acontecerá na sexta-feira, 17 de fevereiro.

Por todo o Estado a Secretaria está distribuindo 109 mil doses da vacina, o equivalente a dois meses de imunização. As regiões de Campinas, Piracicaba, São João da Boa Vista e Sorocaba já receberam nesta terça-feira_ as prefeituras buscarão nas Direções Regionais de Saúde (DIRs), órgãos da Secretaria. Grande ABC, Franco da Rocha e Osasco receberão nesta quarta-feira, assim como Assis, Marília, presidente Prudente, Araraquara, Barretos e São José do Rio Preto. Até sexta-feira as outras regiões do Estado estarão com suas vacinas.

A vacinação contra o rotavírus, destinada a crianças, começará em 6 de março. A nova vacina é mais um avanço em saúde pública. Será introduzida no calendário de imunização de todo o Brasil pelo Ministério da Saúde_ serão disponibilizadas rotineiramente nos postos de saúde.

Para ficar imune ao rotavírus as crianças precisam tomar duas doses da vacina. A primeira deve ser aplicada em crianças com dois meses de idade (no máximo com três meses e 15 dias); a segunda dose em crianças com quatro meses de idade (no máximo com cinco meses e 15 dias). É de extrema importância respeitar espaço de pelo menos um mês entre cada dose.

“Mães e pais precisam agora levar as crianças para mais uma vacinação. As doses contra o rotavírus entrarão no calendário em março e serão importantes para reduzir os casos da doença”, afirma Helena Sato, coordenadora de Imunização da Secretaria.

Em 2005 a Secretaria capacitou 150 profissionais de saúde das 24 Direções Regionais de Saúde e grandes municípios com o objetivo de formar profissionais multiplicadores capazes de repassar conhecimento sobre as principais orientações da vacina e sua introdução no calendário. Para finalizar este trabalho será realizado em 23 de fevereiro um Simpósio Estadual sobre a nova vacina. O evento será voltado apenas para profissionais de saúde. Cerca de 1.300 pessoas já se inscreveram.

Butantan

O Instituto Butantan, órgão da Secretaria de Estado da Saúde, produzirá vacina contra rotavírus neste ano. A distribuição está prevista para 2007, por todo o Brasil, caso receba aprovação para comercialização. Isso será possível devido a convênio do Instituto com o National Institutte of Health (NIH), dos Estados Unidos.

Cerca de 135 milhões de crianças são infectadas pela doença anualmente em todo o mundo, das quais 600 mil morrem, a maioria nos países em desenvolvimento. A vacina que será oferecida à população a partir de março foi importada da Bélgica pelo Ministério da Saúde, que deve começar a comprar do Butantan em 2007.

O rotavírus provoca diarréia em crianças abaixo de um ano de idade, principalmente no inverno, quando os pronto-socorros pediátricos sofrem sua maior demanda.

Deverão ser produzidas 10 milhões de doses da nova vacina por ano no Butantan, o suficiente para cobrir toda demanda nacional. O excedente poderá ser vendido para outros países. Estima-se que o custo da vacina produzida no Brasil seja cinco vezes menor do que as vacinas disponíveis no mercado, que não cobrem todos os sorotipos prevalentes no Brasil.

Da Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado da Saúde

C.C.