Sabesp firma parceria para educação ambiental de pintores

Termo prevê orientação para descarte correto água gerada a partir de restos do produto

sáb, 22/01/2011 - 12h00 | Do Portal do Governo

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) firmou termo de cooperação mútua com a Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas (Abrafati) para orientar os pintores profissionais e usuários de tintas imobiliárias à base d’água em relação ao descarte das águas geradas na lavagem de pincéis, brochas, rolos e bandejas com restos do produto.

Intitulada Pintou limpeza! Não vamos deixar pintar sujeira nos rios!, a parceria quer evitar que o descarte seja feito indevidamente nas galerias de águas pluviais via bueiros e bocas-de-lobo, chegando a rios e córregos. O correto é que os resíduos provenientes da limpeza dos instrumentos sejam descartados na rede de esgoto, de onde seguem para as ETEs (Estações de Tratamento de Esgoto) da Sabesp.

A Sabesp será responsável pelo conteúdo técnico voltado à educação ambiental e sanitária, com campanhas de divulgação, inclusive por meio do Programa “Agente da Gente” (rede de agentes que atuam em comunidades de baixa renda), além de estabelecer esta boa prática entre empreiteiras nas obras e serviços de manutenção, via cláusulas contratuais.

Por sua vez, a Abrafati incluirá o tema em seu programa de capacitação de pintores, conscientizando-os a fazer o descarte correto. A associação colaborará ainda divulgando a ação às empresas fabricantes de tinta para que a informação chegue aos varejistas. As instruções sobre o descarte correto também serão divulgadas por outros meios aos revendedores e aos consumidores, envolvendo futuramente a participação de fabricantes de apetrechos de pintura.

Segundo o assessor de meio ambiente da presidência da Sabesp, Marcelo Morgado, a assinatura do termo de cooperação mútua vai ao encontro de outras ações da Companhia voltadas à preservação dos corpos d’água. “A parceria com a Abrafati colabora com outros programas como o Córrego Limpo, realizado na Região Metropolitana de São Paulo, e o Canal Limpo, desenvolvido no litoral – ambos voltados à despoluição dos rios, córregos, lagos e represas”, diz.

Da Sabesp