Roubos e furtos seguem em queda na terceira semana de outubro no centro de São Paulo

Roubos na região caíram 52% em relação ao mesmo período do ano passado; baixa nos furtos foi de 35%

sex, 27/10/2023 - 14h24 | Do Portal do Governo

O número de roubos no centro de São Paulo se manteve em queda pela 29º semana consecutiva. De 16 a 22 de outubro deste ano, o índice registrado foi 52% menor do que no mesmo período de 2022, nos bairros de Campos Elíseos e Santa Cecília, áreas que correspondem, respectivamente, ao 3º e 77º DPs. A redução foi de 91 ocorrências, de 174 para 83.

Já os casos de furto no período analisado caíram 35%, também em relação à mesma semana de 2022, passando de 342 para 223 casos, com 119 boletins a menos.

Os números foram divulgados no relatório das Cenas Abertas de Uso, que semanalmente analisa dados criminais na região para que as forças de segurança elaborem políticas públicas de combate à criminalidade.

Desde que o sistema entrou em funcionamento, no final de março, os roubos se consolidaram em queda. Este tipo de crime caiu 56% na terceira semana de outubro comparado com a primeira semana de monitoramento. Os furtos, por sua vez, caíram 28% no mesmo comparativo.

Na última semana analisada, 55 pessoas foram presas em flagrante por diversos crimes, como tráfico de drogas, roubo, furto, receptação, estelionato e falsificação de documento. Além disso, 28 procurados pela Justiça foram recapturados.

Policiamento na região central

Já no policiamento ostensivo tivemos o incremento de 120 PMs para região central com a Impacto-Centro, que também cobre a área da Cracolândia. Além de mais de 1,5 mil vagas pela Atividade Delegada no centro. Pela Polícia Civil é realizada, desde janeiro, a Operação Resgate na região central, tendo até 01 de outubro feito 404 flagrantes com 634 presos e 659 celulares apreendidos.

Outra ferramenta é a utilização de 200 tornozeleiras, da SAP, que estão sendo usadas, desde o dia 11 de setembro, em audiência de custódia na capital para reincidentes criminais, sobretudo, por violência doméstica. O tornozelamento é feito por PMs no próprio Fórum, assim que o juiz determina sua soltura. Até 26 de outubro foram 62 tornozelados, sendo 26 por violência doméstica. Os primeiros equipamentos são apenas para o começo do projeto, pois no mês passado a SAP renovou a contratação dos serviços de 8 mil tornozeleiras e a SSP está finalizando o edital de contratação de mais dispositivos para a expansão do projeto.