Programa de atendimento a familiares de vítimas fatais completa três anos

Projeto pioneiro no Estado é resultado de uma parceria entre órgãos do governo e a sociedade civil

ter, 17/07/2001 - 12h12 | Do Portal do Governo

Projeto pioneiro no Estado é resultado de uma parceria entre órgãos do governo e a sociedade civil

O Centro de Referência e Apoio à Vítima (CRAVI), programa da Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, está completando nesta semana três anos de existência. Implantado em julho de 1998, o projeto já atendeu 1.968 pessoas, correspondendo a 492 casos, com uma média de quatro sessões iniciais de avaliação e encaminhamento para cada caso.

O CRAVI presta gratuitamente atendimento social, jurídico e psicológico a familiares de vítimas de violência fatal (homicídio e latrocínio) e outros casos graves de violência. O objetivo do programa é oferecer a estes familiares, aqui considerados vítimas indiretas da violência, de forma ágil e integrada, serviços essenciais que possibilitem a retomada de suas atividades cotidianas sem a necessidade de se exporem a estafante rotina de constantes idas e vindas à diversas unidades de atendimento.

O papel do Centro tem sido importnate na reestruturação e reorganização destas famílias após o trauma da violência sofrida por um de seus entes e que, automaticamente, estende-se aos demais.

Paralelamente ao atendimento, o CRAVI realiza ainda um trabalho de pesquisa e estudo aprofundado das causas e conseqüências da violência, buscando traçar um diagnóstico deste problema. Este trabalho, que está sendo desenvolvido, é fruto de uma parceria com a PUC-SP e tem financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). O objetivo desta pesquisa é auxiliar, futuramente, a formulação de políticas públicas de prevenção à violência.

O programa é uma parceria do Governo do Estado (Secretarias da Justiça e da Defesa da Cidadania; da Segurança Pública; da Saúde e da Assistência e Desenvolvimento Social) com a Procuradoria Geral do Estado e outras entidades da sociedade civil, como o Núcleo de Violência e Justiça da PUC-SP, Senac, Federação do Comércio e outros. Conta também com o apoio do Ministério de Justiça (Secretaria de Direitos Humanos), do Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo (Fussesp) e da Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa.

O CRAVI funciona de segunda a sexta-feira, das 9 às 18 horas, na Rua Barra Funda, 1032 – entre as estações Barra Funda e Marechal Deodoro do Metrô.