Procon: Roche anuncia recolhimento do antiviral Viracept

Medida é necessária devido a uma impureza química conhecida como ácido etil

seg, 11/06/2007 - 20h43 | Do Portal do Governo

O laboratório Roche divulgou comunicado informando que está recolhendo do mercado brasileiro todos os lotes do medicamento Viracept (mesilato de nelfinavir) em pó e comprimido, utilizado no tratamento de pacientes portadores do vírus HIV.

A medida, que também está sendo tomada na Europa e em outras regiões do mundo, é necessária devido a uma impureza química conhecida como ácido etil éster metanossulfônico encontrada em alguns lotes do medicamento que apresentaram odor alterado. Segundo a empresa, estudos feitos em animais mostram que a substância pode causar alteraçõe no DNA, porém não foi estudado efeitos em seres humanos .

A Roche recomenda aos pacientes que procurem imediatamente seu médico, e que não interrompam o tratamento até o início de um tratamento alternativo, evitando assim aumento da resistência viral e consequente agravamento da doença.

A empresa informa aos profissionais da saúde que a nota técnica que regulamenta a substituição encontra-se no site . Qualquer evento adverso associado ao Viracept deverá ser relatado pelo telefone 0800-7733-310 ou pelos formulários disponíveis no site www.anvisa.gov.br.

A Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, orienta os consumidores sobre seus direitos e informa que por se tratar de um produto potencialmente nocivo por sua própria natureza (medicamento), irá averiguar e confirmar o conteúdo das informações constantes no comunicado.

O que diz a lei

O Código de Defesa do Consumidor, em seu artigo 10, estabelece que: “O fornecedor não poderá colocar no mercado de consumo produto ou serviço que sabe ou deveria saber apresentar alto grau de nocividade ou periculosidade á saúde ou segurança.

§ 1º O fornecedor de produtos e serviços que, posteriormente à sua introdução no mercado de consumo, tiver conhecimento da periculosidade que apresentem, deverá comunicar o fato imediatamente às autoridades competentes e aos consumidores, mediante anúncios publicitários.”

Caso o consumidor encontre dificuldade em obter mais informações, poderá procurar ajuda – ou efetuar reclamação – junto à Fundação Procon-SP, que atende pessoalmente nos postos do Poupatempo (Sé – Pça. do Carmo, s/n; Santo Amaro – R. Amador Bueno, 176/258; ou Itaquera – ao lado do Metrô Itaquera), por carta (Caixa postal 3050 – CEP 01061-970 – SP-SP), por fax (0xx11. 3824-0717) ou pelo telefone 151 (somente informações), ou ainda para obter informações sobre reclamações contra fornecedores (tel.: 0xx11. 3824-0446). 

Da Secretaria da Justiça e Defesa da Cidadania