Pesquisa revela perfil dos usuários do Acessa SP

Pessoas com renda familiar menor que um salário mínimo representam 32% dos usuários

sáb, 17/10/2009 - 17h00 | Do Portal do Governo

O uso dos computadores pela população de baixa renda nas unidades do Acessa SP, programa de inclusão digital do governo paulista, vinculado à Secretaria de Gestão Pública, cresceu entre 2007 e 2008. Em sua sexta edição, a Ponline, pesquisa elaborada para traçar o perfil do usuário do programa, mostra aumento de 12 pontos percentuais da frequência nos postos por pessoas com renda familiar de menos de um salário mínimo – um salto de 20% para 32% na comparação. 

Participaram da pesquisa 8.268 cidadãos, dos quais 7.313 são usuários do Acessa SP, 890 do e-Poupatempo e 65 do Ponto.SP – os dois últimos são salas que oferecem ao cidadão o fácil acesso aos serviços públicos eletrônicos. A maioria dos entrevistados que frequentam os postos do Acessa SP (69%) respondeu ter renda familiar de até dois salários mínimos – 7% a mais comparado à pesquisa anterior. O número de usuários que não trabalham também teve alta de 7% – de 57% para 64%. Mais da metade dos participantes (68%) disse que não tem computador em casa. O aumento da frequência no programa pela população de baixa renda reflete na instalação de unidades em municípios com índices de desenvolvimento mais baixos.

Renda familiar mensal  

A sondagem também revela que o jovem é um típico frequentador dos postos. A média de idade dos usuários é de 22 anos. A pesquisa mostra que 80% dos usuários têm até 29 anos. Embora predomine o uso dos computadores do Acessa SP pelo público jovem, a amostragem assinala um aumento dos usuários com idade acima dos 30 anos. Comparado à pesquisa feita em 2007, o público na faixa etária dos 30 aos 39 anos aumentou de 10% para 12%, em 2008. Houve ligeiro aumento no público com idade entre 20 e 24 anos, de 15% para 16%, na comparação. 

“A pesquisa mostra que o Acessa SP mantém o seu foco ao oferecer o acesso gratuito à internet banda larga para a população. Este programa é uma ferramenta não só de inclusão digital, mas também social, pois leva o conhecimento de forma democrática e atende a quem mais precisa”, afirma o secretário de Gestão Pública, Sidney Beraldo. 

O percentual de pessoas com deficiência que utilizam os postos do programa é substancial. A média é de quatro em cada 100 pessoas com algum grau de deficiência no Estado. As unidades do programa, com monitores capacitados, se mostram uma alternativa para a inclusão digital deste público, o que é confirmado na pesquisa. Dos entrevistados que possuem alguma deficiência, 42% disseram que acessam a internet somente nos postos do programa, índice acima da média do total de usuários, com 29%. 

A preferência pelo acesso à internet nas unidades do Acessa SP também é grande entre a terceira idade. Na pesquisa realizada em 2008, 48% dos usuários responderam que navegam na web exclusivamente por meio do programa, aumento de 4% em relação à amostragem anterior. Entre o público com idade acima dos 60 anos, 54% aprenderam a utilizar a internet com a ajuda de monitores do programa. 

Aproveitamento da Internet  

Sobre o aproveitamento dos acessos, 64% concordam que se divertem muito pela web. Para 58% dos entrevistados, a Internet deu a oportunidade de conhecer novos amigos.  O conhecimento das ferramentas da rede mundial de computadores melhorou a vida pessoal de 49% e a financeira de 19% dos participantes. Outros 45% veem a web como a principal fonte de informação; 44% têm mais facilidade de aprender pela rede; enquanto 24% cuidam melhor da sua saúde com as informações de sites. 

Impacto da internet na vida das pessoas  

A Ponline também ouviu a opinião da sociedade sobre o governo eletrônico. Em um universo de 4.691 pessoas de todo o Estado, apurou-se que 74% já utilizaram os serviços públicos eletrônicos, margem três vezes maior que a média brasileira. 

Com 90% de aprovação, a experiência é classificada pelos participantes de satisfatória ou muito satisfatória. Na avaliação de 44% dos participantes, o governo eletrônico é um meio de aproximar a administração pública do cidadão. O sistema gera economia de tempo para 43% dos respondentes e de dinheiro, para 34%, como mostra o gráfico abaixo. A diminuição de gastos do governo com a alternativa é assinalada por 31%; o e-gov aumenta a transparência das ações do governo para 24% e 16% dos respondentes veem no governo eletrônico uma forma de combate à corrupção. 

Opinião do cidadão sobre o e-gov  

A pesquisa apurou ainda quais são as ferramentas mais eficientes de comunicação dos órgãos públicos. O e-mail é considerado por 50% dos participantes a melhor ferramenta para receber informações. Na avaliação dos mais jovens, a interação entre cidadão e governo deve ser pelas redes sociais. Dos respondentes na faixa etária dos 15 aos 24 anos, 26% gostariam de receber recados pelo Orkut. 

A era digital democratizou a informação. Aumenta a cada dia o número de pessoas conectadas à internet interessadas em facilitar as tarefas de seu cotidiano. Isso justifica a preocupação do governo paulista em liberar o acesso às redes sociais nos órgãos públicos. Estas ferramentas proporcionam um ambiente mais eficiente e favorável de relacionamento com o cidadão, e representam novos canais de prestação de contas ao cidadão e de divulgação dos serviços a ele oferecidos”, afirma o secretário Beraldo. 

e-cidadão  

Além do interesse em interagir com os órgãos públicos pelos meios eletrônicos, o uso dos postos para ações de cidadania também é um desejo do cidadão. A maioria dos frequentadores do Acessa SP (67%) gostaria de desenvolver algum projeto em sua comunidade pela Rede de Projetos – portal do programa que conta com mais de 500 projetos registrados, que serve como ambiente de trocas de experiências entre monitores e voluntários que desenvolvem ações de acordo com as necessidades das comunidades. 

A pesquisa apurou ainda qual seria o tema escolhido pelo voluntário para a ação com a comunidade. Entre 18 temas diferentes, destacam-se iniciativas voltadas ao esporte (40%); educação (36%); música (34%); e emprego e trabalho (33%). 

Site de relacionamento é o mais acessado  

O site de relacionamento Orkut está na preferência dos usuários do Acessa SP. Na pesquisa, 86% afirmam que navegam na página, sendo que 66% acessaram sites de relacionamento. Outros 64% se consideram atuantes na página – leem mensagens, acompanham as discussões e enviam e respondem mensagens. 

Os recados aparecem no topo da lista dos meios de comunicação online, com 70%. Mantém popularidade o e-mail (65%), à frente de comunicadores instantâneos, como o MSN (63%). Na sondagem sobre as atividades dos frequentadores dos postos na internet, é apontado o interesse por participar de cursos online. Dos respondentes com idades entre 30 e 39 anos, 20% já fizeram algum curso na web. O percentual entre usuários com mais de 60 anos (12%) que já tiveram esta experiência é superior ao público jovem, na faixa etária dos 11 aos 14 anos (5%) e dos 15 aos 19 (7%). 

Da Secretaria de Gestão Pública