Pesquisa do IBGE e da Fundação Seade aponta Barueri como o segundo municipio mais rico do Estado.

Em 2005, a Região Metropolitana de São Paulo [RMSP] respondeu por mais da metade do PIB total do Estado [57,3%], revela pesquisa do IBGE e da Fundação Seade. Entre as […]

ter, 25/12/2007 - 11h54 | Do Portal do Governo

Em 2005, a Região Metropolitana de São Paulo [RMSP] respondeu por mais da metade do PIB total do Estado [57,3%], revela pesquisa do IBGE e da Fundação Seade. Entre as regiões administrativas paulistas, a maior participação é de Campinas [15,3%], seguida pelas de São José dos Campos[5,2%], Sorocaba [4,7%] e Santos [3,0%], que formam o entorno da RMSP e delimitam uma extensa área de grande desenvolvimento econômico. Em conjunto, essas cinco regiões são responsáveis pela geração de mais de 85,5% do PIB paulista.

Apesar de os dez municípios com maiores PIBs, em 2005, serem os mesmos registrados em 2004, foram identificadas algumas alterações em sua ordem que merecem ser destacadas. É o caso, por exemplo, de Barueri, que da sexta posição em 2004 alcançou a segunda, em 2005, tomando a colocação de Guarulhos, que passou a ser o terceiro município em termos de geração de riqueza. Também destaca-se o avanço de Osasco, que ganhou uma posição, superando São José dos Campos. Essas mudanças no topo da classificação sinalizam para um possível movimento de reconcentração da geração de riqueza em municípios da Região Metropolitana de São Paulo.

Entre 2004 e 2005, mantêm-se entre os cinco menores PIBs os municípios de Pracinha, Nova Guataporanga e Ribeira. Apenas Fernão e Itaóca deixaram esse rol e foram substituídos por Balbinos e Guarani d’Oeste. A principal característica desses municípios é a grande participação dos serviços na formação de seus respectivos PIBs, sobretudo da administração pública.

O cálculo do PIB dos municípios paulistas se insere em projeto de âmbito nacional, coordenado pelo IBGE, que abrange todos os municípios brasileiros. Esse cálculo baseia-se em metodologia desenvolvida conjuntamente pelo próprio IBGE e pelos órgãos estaduais de estatística, entre os quais a Fundação Seade, que é responsável pelos resultados do Estado de São Paulo.

As informações ora apresentadas referem-se à nova série do PIB regional, que incorpora as mudanças na metodologia de cálculo desse indicador promovidas pelo IBGE nas Contas Nacionais, em 2007. Por tal razão, também foram recalculados os valores do PIB regional a partir de 2002.

Veja no site da Seade [www.seade.gov.br] a íntegra do estudo sobre o PIB Municipal em 2005.

Da Fundação Seade

(FSS)