Mulheres que “pilotam” trem

CPTM tem 40 mulheres no seu quadro de 670 maquinistas

seg, 16/07/2007 - 12h04 | Do Portal do Governo

Quarenta mulheres percorrem os trilhos da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) “piloltando” um trem. Esse é o número de maquinista do sexo feminino que compõem o quadro de funcionárias da empresa. O número representa 6% do total de 670 maquinistas.

Um dos exemplos é o da maquinista Maria Aparecida de Almeida Aguiar, considerada pelos dois filhos como uma heroína. E o motivo é simples: ela não se contentou apenas em cavar um espaço numa área dominada pelos homens. Há dois anos prestou vestibular e cursa uma faculdade. “Quero crescer dentro da empresa e por isso decidi me qualificar”, confessa Maria Aparecida.

Prestes a completar dez anos de empresa, a maquinista Maria Aparecida acorda às 5 da manhã, organiza as tarefas domésticas e duas horas mais tarde está sentada numa cadeira ao lado de outros universitários. “Meus colegas na faculdade acham o máximo”, confessa.

Da Universidade, volta para casa e se prepara para mais um desafio. Ir para o trabalho com a responsabilidade de controlar um compartimento com capacidade para transportar por viagem até 2,8 mil pessoas. E são quatro viagens ao longo do dia com duração de duas horas entre as estações Julio Prestes a Itapevi.

 Mas será que Márcia ainda encontra tempo para os filhos? Bem, ela diz que sim. “Nos finais de semana sento para conversar com eles e com o meu marido”, diz. “Minha família aceitou e acho que consegui romper os preconceitos”, completa.

Cleber Mata