Metrô: Ação Cultural promove 14 exposições em maio

O público poderá ter acesso às exposições ao entrar na área paga do Metrô

qua, 10/05/2006 - 11h20 | Do Portal do Governo

O programa Ação Cultural do Metrô promove, a partir desta quarta-feira, dia 10, 14 atrações artístico-culturais em maio, distribuídas nas quatro linhas metroviárias. Os destaques do mês são “História do Uniforme Escolar no Brasil” (mostra fotográfica), “Contínuo” (histórias em quadrinhos), “Retratos Falantes de Paulo Fridman” (retratos) e “O Direito do Olhar” (artes plásticas).

O público poderá ter acesso às exposições ao entrar na área paga do Metrô (bilhete unitário a R$ 2,10). No caso da vitrine de ikebana, na estação Liberdade, e “Retratos Falantes de Paulo Firdman”, na estação Vila Madelena, não é necessário passar pelas catracas já que as mostras estão localizadas na área livre.

Programação:

  • A Estação Sé apresenta, até 31 de maio,“História do Uniforme Escolar no Brasil”, a exposição conta, através de 16 painéis fotográficos, a evolução dos uniformes escolares no país e a influência da moda sobre esse vestuário. Destaque para as fotos das escolas públicas Caetano de Campos, em São Paulo, e Pedro II, no Rio de Janeiro, as pioneiras no ensino público brasileiro. Há também imagens dos principais centros de ensino europeus e dos colégios religiosos.  
  • “O Contínuo”, até 31 de maio, na Estação Sé. Exposição baseada  na publicação “O Contínuo” (produção independente dedicada às histórias em quadrinhos), escrita, desenhada e editada por estudantes de Arte da ECA-USP.  A mostra apresenta etapas importantes na produção das histórias em quadrinhos do projeto “O Contínuo”: processo de finalização, impressão e edição. A história “Baldeação” tem como cenário o Metrô: os personagens, a estação, e  o trem.
  • A Estação Vila Madalena recebe a exposição “Retratos Falantes de Paulo Fridman”, até dia 31 de maio. O fotógrafo reuniu imagens de pessoas anônimas com dizeres  escritos em um pedaço de papel, manifestando sonhos, desejos e anseios sobre a vida. Através de um processo digital uniu textos e imagens. Os retratos, realizados em locais como avenida Paulista, praça da República e Galeria do Rock,  apresentam um pouco da identidade de cada pessoa clicada.
  • “O Direito do Olhar”, até 31 de maio, na Estação República. A  exposição é resultado da produção cultural das prisioneiras e guardas penitenciárias das casas de custódia da capital. Os trabalhos estão  expostos em 24 painéis e abrangem a área da pintura, fotografia e literatura.
  • A Estação Paraíso apresenta, até 31 de maio, a exposição “Parque de Minas – Patrimônio Natural de Minas Gerais”. Mostra fotográfica, baseada em livro homônimo, com destaque para as belezas naturais dos Parques estaduais de Minas Gerais.
  • A Estação Ana Rosa apresenta, até 31 de maio, a exposição “Metrô por Persifal”. Pessoas comuns, personalidades históricas e famosos são retratados de forma bem-humorada, simulando a utilização do Metrô. Destaque para a figuração dos apresentadores Gugu e Hebe Camargo como operadores de trem.
  • A Estação Clínicas apresenta, até 31 de maio, a mostra fotográfica “Se Essa Rua Fosse Minha Eu Mandava Grafitar”, que retrata a produção cultural de diversos grafiteiros da cidade de São Paulo. A exposição reunirá cerca de 20 imagens desse movimento artístico-urbano. Além disso, fragmentos de depoimentos dos artistas serão apresentados para contextualizar as obras e informar sobre o grafite em geral .
  • “Lutar pela Democracia é Lutar pela Paz”, até 31 de maio, na Estação Brás. Mostra composta de cartazes, fotografias e textos sobre a Revolução dos Cravos, ocorrida em Portugal, em 25 de abril de 1974.
  • A Estação Ana Rosa apresenta, até 31 de maio, a exposição “Concurso Novos Talentos da MPB”. Painéis fotográficos contam a trajetória desse concurso que está na sua 5ª edição. Os novos talentos são clicados durante as apresentações ao lado de cantores consagrados da Música Popular Brasileira.
  • A mostra “Tatuagem, Piercing e Outras Mensagens do Corpo”, que segue até 31 de maio, na Estação Tatuapé, revela a presença histórica e cultural dos registros e mensagens corporais, além de traçar um paralelo entre as sociedades arcaicas e as tribos urbanas. 
  • A Estação Imigrantes apresenta, até 31 de maio, “Obras da Expansão da Linha 2-Verde do Metrô pelos pincéis de Diana Dorothèa Danon”. Mostra das aquarelas realizadas pela artista plástica Diana Dorothèa Danon durante as obras da extensão da Linha 2-Verde. As imagens revelam a evolução das obras e o relacionamento humano entre a artista e os operários.
  • “Educação e Participação: tecendo redes”, até 31 de maio, na Estação Santa Cecília, traz os resultados do Prêmio Itaú-Unicef, que premiou 30 projetos voltados ao atendimento de crianças e adolescentes brasileiros que vivem em condições de risco. A exposição é composta de 30 bonecos, que foram decorados por diversas crianças.
  • A Estação Capão Redondo apresenta, até 31 de maio, “A Maior Obra de Expansão da História do Metrô”. Mostra com fotos e texto explicativo sobre a expansão da rede metroviária de São Paulo, destacando a evolução das obras da Linha 2-Verde (extensão Ana Rosa – Alto do Ipiranga) e da Linha 4-Amarela (Vila Sônia – Luz).
  • “Vitrine de Ikebana”, até 31 de maio, na Estação Liberdade, apresenta exposição permanente de ikebana, com trabalhos renovados periodicamente, desta arte milenar japonesa baseada em arranjos florais e de plantas.

Companhia do Metropolitano de São Paulo – Metrô – Departamento de Imprensa