Memória: Arquivo do Estado recupera fotos do acervo dos Diários Associados

Imagens do cotidiano até grandes momentos da história de São Paulo foram registradas nos periódicos

qua, 26/07/2006 - 13h53 | Do Portal do Governo

O Arquivo Público do Estado de São Paulo está recuperando 805 mil fotos que registram desde cenas do cotidiano até grandes momentos da história de São Paulo. Recebido em 2002 pela empresa Folha da Manhã, esse acervo pertencia aos Diários Associados – extinto grupo de comunicação de Assis Chateaubriand – e, desde junho de 2005, vem sendo restaurado. O projeto é resultado de parceira entre o Arquivo Público do Estado e a Fundação Vitae, que investiu R$ 227 mil na iniciativa.

O financiamento abrange o fornecimento de armários adequados, equipamentos para medição de temperatura e de umidade, e suprimentos de informática para a documentação do material, explica a consultora cultural e ex-gerente da Vitae, Gina Machado. “Esta será a primeira parte do futuro acervo iconográfico dos Diários Associados, batizada com o nome Artes, por reunir imagens sobre esse tema”, afirma.

Revitalização 

Cerca de 10% do material passa por trabalho diário e especializado de recuperação, restauração, identificação e catalogação. São imagens utilizadas ou descartadas por editores de revistas e jornais do grupo e que registram, por exemplo, inaugurações de teatros, corridas de cavalos do Jockey Club de São Paulo, entrevistas com antigas estrelas do rádio, entre outras.

Armazenado e higienizado em perfeitas condições, o restante das fotografias aguarda a catalogação para que, por meio do orçamento do Estado e de novas parcerias, sejam formadas as outras seções da coletânea. “A iniciativa privada poderia estreitar esse tipo de trabalho conjunto, colaborando com o poder público ao preservar e difundir nosso patrimônio histórico e cultural”, observa a consultora.

Diversidade que vem sendo arquivada há 285 anos

Criado em 1721, o Arquivo Público é a instituição estatal mais antiga de São Paulo. Guarda documentos administrativos atuais e de séculos passados, conservados em condições ideais e submetidos a minuciosos processos de recolhimento, tratamento, restauração e catalogação. Seu acervo ocupa dois prédios que guardam desde inventários até atestados de óbitos emitidos em hospitais públicos e relatórios criminais de diversos momentos da história do Brasil, como a Revolução Constitucionalista de 1932 e a ditadura militar de 1964. “O Arquivo é uma figura híbrida que não preserva só a memória coletiva, mas também a de cada um de nós”, avalia o diretor da instituição, Fausto Couto Sobrinho.

1º jornal brasileiro 

Os visitantes não encontram somente documentos públicos ou burocráticos no local. O espaço mantém grande mapoteca, laboratórios técnicos de restauro e microfilmagem, bibliotecas com livros raros e extensa hemeroteca composta por periódicos raros, como a edição inaugural do jornal Correio Braziliense – editado no ano de 1808 em Londres e considerado o primeiro jornal brasileiro.

Há, também, acervos fotográficos com cerca de um milhão de imagens e milhares de rolos de microfilmes. No total, há mais de 2,5 quilômetros de materiais empilhados – medida usada para quantificar documentos –, o que faz da instituição um dos maiores arquivos do País. “Não há sequer um livro de história editado nos últimos cem anos que não tenha utilizado, de alguma maneira, materiais conservados pelo Arquivo”, ressalta o diretor.

Função cultural 

Além de preservar documentos históricos, o Arquivo do Estado cumpre função cultural na cidade. Dispõe de anfiteatro, três prédios, 14 depósitos para o acervo, laboratórios, sala de aula e galeria de exposição. Mantém, ainda, biblioteca de apoio à pesquisa com 39 mil volumes, o núcleo da Biblioteca Estadual com 25 mil livros e uma livraria na qual o visitante encontra de best sellers a livros exclusivos.

A instituição guarda também documentos e fotos do antigo Departamento de Ordem Política e Social (Deops), que passou a fazer parte do acervo em 1992. Esses materiais estão divididos em prontuários nominais e dossiês, os quais podem ser consultados pelo público mediante assinatura de termo de responsabilidade sobre a informação.

SERVIÇO

Arquivo Público do Estado de São Paulo

Rua Voluntários da Pátria, 596 – Santana – capital

Aberto de terça-feira a domingo, das 9 às 17 horas

Telefone (11) 6221-4785

Erica Franco e Karen Almeida

Da Secretaria da Cultura