Medicina da USP e HC são mais citados na literatura científica

Estudo mostra que 8% dos artigos com autores brasileiros, com 100 ou mais citações em revistas científicas, são de autores da Medicina e do HC

seg, 11/06/2007 - 10h01 | Do Portal do Governo

A Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) e o Hospital das Clínicas (HCFMUSP) lideram a lista de instituições brasileiras que tiveram trabalhos citados 100 ou mais vezes em revistas científicas de impacto internacional indexadas na base de dados ISI (Institute for Scientific Information). Dos 248 artigos identificados, 20 (8%) referem-se a autores ou co-autores filiados à FMUSP e ao Hospital das Clínicas.

O levantamento dos papers mais citados na literatura científica leva em conta um período de dez anos (1994 a 2003). Realizado por Rogério Meneghini e Abel Packer, do Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde, instituição ligada à OPAS (Organização Pan-Americana da Saúde), o estudo foi publicado recentemente nos Anais da Academia Brasileira de Ciências.

Para realizar a pesquisa, os autores recorreram ao ISI (Institute for Scientific Information), uma instituição internacional que gerencia a mais importante base de dados de periódicos científicos do mundo, denominada Web of Science. Atualmente, esta base compreende mais de 8 mil títulos de periódicos nas áreas de ciências naturais, ciências sociais e artes. Entre os serviços e produtos disponibilizados pelo ISI, está o índice de citação, que representa o número de vezes que o artigo foi citado nos periódicos cobertos pelo ISI.

O estudo de Meneghini e Abel Packer englobou 109.916 artigos com pelo menos uma filiação brasileira (autores ou co-autores ligados a instituições brasileiras). Dentre eles, foram identificados 248 artigos com 100 ou mais citações, o que representa 0,23% do total de publicações. Desse total, 39 têm autoria exclusiva de brasileiros e 209 têm colaboração internacional. Os artigos abrangem oito áreas do conhecimento: Biomedicina (67), Medicina (51), Física (41), Biologia (29), Química (23), Astronomia (17), Cirurgia (17) e Engenharia (3). Se tomarmos por base apenas as áreas de atuação da Faculdade de Medicina da USP e do Hospital das Clínicas (Biomedicina, Medicina, Cirurgia e Biologia), o número de artigos soma 164. Nesse caso, a FMUSP e o HC representam 12,2% da produção.

Os mais citados

Entre os artigos com autores da FMUSP, o campeão em citações (655 vezes) é de autoria do pneumologista Marcelo Britto Passos Amato, professor de Pneumologia da FMUSP e responsável pelo Laboratório de Pneumologia da Faculdade. O artigo, que teve a colaboração de mais 11 autores brasileiros, foi publicado em 1998, no New England Journal of Medicine, sob o título Effect of a protective-ventilation strategy on mortality in the acute respiratory distress syndrome. O estudo comprovou a redução na mortalidade de pacientes com a síndrome do desconforto respiratório agudo submetidos à ventilação mecânica protetora em comparação à ventilação convencional.

Segundo Marcelo Amato, a repercussão do estudo pode ser explicada pelo fato de que, desde 1967, quando a síndrome foi descrita pela primeira vez na literatura médica, nenhuma terapêutica tinha conseguido reduzir a mortalidade da doença. Amato ressalta, ainda, que esse é o único artigo, entre os dez primeiros da lista, sem a colaboração de autores estrangeiros. De acordo com o pneumologista, as citações do artigo já chegaram a 900, se contabilizarmos até os dias de hoje.

O segundo artigo mais citado da FMUSP, que tem a participação do cardiologista e hemodinamicista Marco Antônio Perin, do Serviço de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista do Incor, foi publicado em 2002 no New England Journal of Medicine. Com o título A Randomized Comparison of a Sirolimus-Eluting Stent with a Standard Stent for Coronary Revascularization, citado por 590 vezes em periódicos da base ISI, o artigo detalha o primeiro trabalho científico no mundo com stent farmacológico (stent com medicamento).

The Banff 97 working classification of renal allograft pathology, publicado em 1999, no Kidney International foi citado 585 vezes. Na relação de colaboradores, está Maria Cristina Ribeiro de Castro, nefrologista da Unidade de Transplante Renal da Divisão de Clínica Urológica do HC. Ela relata que o artigo define critérios histopatológicos de rejeição de transplante renal e traz a última atualização da classificação da histologia da rejeição do transplante de rim.

Modelo

Para o diretor da FMUSP, professor Marcos Boulos, a liderança no ranking deve-se “ao modelo de pesquisa implantado pela Faculdade a partir da criação dos Laboratórios de Investigação Médica (LIMs), que reúne docentes, pós-graduandos, médicos e pesquisadores de todo o Complexo HCFMUSP, com uma interação efetiva entre Ensino, Pesquisa e Assistência”.

O professor José Eluf Neto, diretor executivo dos LIMs, ressalta que a presença de 62 laboratórios de pesquisa inseridos em um hospital de alta complexidade é extremamente produtiva, como demonstrado pelo aumento na produção científica ao longo dos anos. Ele lembra ainda que hoje, nos 62 LIMs, existem 120 grupos de pesquisa cadastrados no CNPq.

Da Assessoria de Imprensa da FMUSP

(J.H.)