Lembo anuncia restauração da Igreja das Chagas do Seráphico Pai São Francisco

Considerada patrimônio da humanidade, a igreja abriga obras oitocentistas e um extenso acervo de pinturas

sex, 06/10/2006 - 13h57 | Do Portal do Governo

O governador Cláudio Lembo anunciou na manhã desta sexta-feira (06/10), a intenção do Governo Estadual em restaurar a Igreja das Chagas do Seráphico Pai São Francisco, localizada no largo São Francisco, centro da capital paulista.

O anúncio foi realizado durante homenagem ao brigadeiro Rafael Tobias Aguiar, patrono da Polícia Militar de São Paulo.

Para o governador, o Estado paulista precisa guardar seus grandes monumentos.

“Perder essa igreja seria um crime. Ela tem uma beleza única e é um patrimônio histórico. O prédio está destruído, corroído pela ação do tempo e pelas condições biológicas. Por isso, o Governo de São Paulo faz um ato, raríssimo, que é assumir por decreto, a restauração desse monumento”, afirmou Lembo.

O imóvel integrará o patrimônio histórico cultural do Estado.

De acordo com Lembo, o Governo tem a obrigação cívica de preservar e restaurar a história dos paulistas.

“Esse é um templo histórico, um grande monumento da nossa cidadania. O interior dela tem muito da história de São Paulo”, completou o governador.

Construída entre 1642 e 1676, o antigo nome da Igreja das Chagas do Seráphico Pai São Francisco era Venerável Ordem Terceira de São Francisco da Penitencia da Cidade de São Paulo. Por diversos anos, foi famosa na capital paulista sua festa de Santa Isabel, realizada em julho, posteriormente sucedida pela festa de São Francisco das Chagas em 17 de setembro.

Entre 1730 e 1740, a igreja recebeu um novo retábulo feito pelo entalhador Luís Rodrigues Lisboa.

Já entre 1790 e 1791 o artista, José Patrício, pintou os painéis grandes da capela-mor. No século XIX acrescentaram-se os quadros que hoje estão nas paredes desse templo. A atual igreja ainda possui imagens de Santo Ivo doutor, cujo andor foi instituído em 1784; e da Divina Justiça. Os antigos quadros oitocentistas que representam São Gualter, São Francisco, Nossa Senhora e as várias fases da paixão de Cristo continuam lá.

No início do século XX, em 1918, foram descobertos, na capela da igreja, os restos mortais do Padre Feijó. De lá, foram trasladados para cripta da atual catedral da Sé.

São os irmãos terceiros que cuidam da igreja das Chagas do Seráphico Pai São Francisco. Todos eles são leigos, mas devem seguir uma rígida regra de conduta de vida pessoal, amando a Deus, o Santo Irmão Francisco e dedicando-se caridade cristã. Para serem admitidos na ordem, passam por severos critérios de admissão, depois do noviciado e do apostolado.


Imagens internas da igreja que será restaurada

Má conservação atinge a parte externa da igreja

Papéis substituem vidros em janelas
foto: Sérgio Andrade
foto:Sérgio Andrade
foto: Sérgio Andrade

Rachaduras espalham-se por diversas paredes

Infiltração atinge paredes e telhado da igreja

Prédio tem aspecto de abandonado
foto: Sérgio Andrade
foto: Sérgio Andrade
foto: Sérgio Andrade

Pintura da fachada afetada pelo tempo
foto: Sérgio Andrade

Leia também:

Governador participa de homenagem ao brigadeiro Rafael Tobias de Aguiar