Governo do Estado reduz custos e aumenta fertilidade dos solos com plantio direto na palha

Assunto será abordado nesta terça-feira, dia 1º, em palestra do secretário estadual da Agricultura, João Carlos de Souza Meirelles

ter, 01/08/2000 - 15h19 | Do Portal do Governo

A “Situação Atual e Perspectivas do Plantio Direto no Estado de São Paulo” é o tema da palestra do secretário estadual da Agricultura, João Carlos de Souza Meirelles, nesta terça-feira, dia 1º, no 7º Encontro Nacional de Plantio Direto na Palha, que se realiza em Foz do Iguaçu, Paraná. O Estado de São Paulo aumentou a área de plantio direto na palha, de 45 mil hectares, no ano agrícola 1997/98, para mais 600 mil hectares, no ano agrícola 1999/2000.
O Governo paulista decidiu incentivar o plantio direto na palha, para elevar a produtividade de grãos e fibras. Com o plantio direto na palha, a Secretaria da Agricultura buscou a redução dos custos de produção, o aumento da fertilidade dos solos, a diminuição da erosão, a expansão da produtividade das culturas e a preservação da biodiversidade, já que essa é a melhor maneira de se fazer agricultura sustentável.
Nesses dois anos, o Banco da Agricultura Familiar ( FEAP- Fundo de Expansão da Agropecuária e da Pesca) financiou a aquisição de 1.142 máquinas plantadeiras/colhedeiras, com recursos de R$ 15 milhões, com prazo de pagamento de quatro anos ( um ano de carência ) e encargos financeiros de 4% de juros ao ano.
Outras medidas possibilitaram a expansão do cultivo direto na palha em território paulista. Inicialmente foi realizado um amplo programa de capacitação e treinamento de técnicos do Instituto Agronômico e da Coordenadoria de Assistência Técnica da Secretaria, nas 40 regionais agrícolas. A ação se multiplicou com a realização de 64 dias de campo, 99 cursos e seminários com total de quase 13 mil participantes, entre agricultores e técnicos.
O plantio direto na palha também é parte importante do Programa Estadual de Microbacias Hidrográficas, em desenvolvimento no Estado, que visa recuperar áreas degradadas e orientar produtores para técnicas modernas de uso da terra, com cuidados ambientalistas e de preservação. As áreas prioritárias do programa de Microbacias Hidrográficas localizam-se no centro-oeste do Estado de São Paulo, onde existem muitas pastagens. O plantio direto na palha é a principal ferramenta para alavancar a produção de grãos e fibras nessas regiões de pastagens, através da integração agricultura-pecuária.