Governo do Estado entrega obras no Vale do Paraíba

nd

qui, 27/01/2000 - 19h09 | Do Portal do Governo

O secretário do Meio Ambiente do Governo de São Paulo, deputado Ricardo Tripoli, se reunirá com prefeitos do Vale do Paraíba, no próximo dia 28, às 10 horas, na Av. Itambé, 38, para entregar as obras de recuperação e ampliação do Laboratório de Análises Físico-Químicas e Bacteriológicas da Regional Cetesb das Bacias do Paraíba do Sul e Litoral Norte, e dos aterros sanitários dos municípios de Areias, Bananal, Canas, Igaratá, Potim e Redenção da Serra. As obras foram realizadas com recursos de convênio celebrado entre a Secretaria do Meio Ambiente do Governo de São Paulo e o Ministério do Meio Ambiente.
O Laboratório de Análises da Cetesb – Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental – foi recuperado e ampliando depois de mais de 30 anos de atividade. Com as reformas o Laboratório terá mais qualidade nas análises, habilitando-se para certificação pelo Inmetro.

SOLUÇÃO PARA O LIXO É
PRIORIDADE DO GOVERNO

Um dos mais críticos problemas ambientais da humanidade – o lixo – começa a ser solucionado pela Secretaria do Meio Ambiente do Governo de São Paulo na Bacia do rio Paraíba do Sul. Seis municípios da região – Areias, Bananal, Canas, Igaratá, Potim e Redenção da Serra – receberam hoje, do secretário de Estado do Meio Ambiente (SMA), deputado Ricardo Tripoli, os termos de entrega das obras dos aterros sanitários em valas, executados sob supervisão da Cetesb – Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental – com recursos do Ministério do Meio Ambiente e SMA. Com os novos aterros, as prefeituras darão destinação adequada aos resíduos sólidos domiciliares, melhorando as condições sanitárias da população.

A destinação adequada dos resíduos sólidos domiciliares deve atingir 516 municípios paulistas – 80% dos 645 do Estado – até dezembro de 2002, conforme determinação do governador Mario Covas. Para atender a esta meta a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (SMA), por intermédio da Cetesb, elaborou um inventário onde constatou que 363 municípios dispõe seus resíduos de forma irregular, enquanto 163 cidades são consideradas sob controle e 117 destinam seus resíduos adequadamente. Dois municípios depositam resíduos fora do Estado.
O inventário constatou também que dos 363 cidades com disposição de lixo irregular, 282 geram menos de 10 toneladas/dia de lixo. Outras 76 produzem entre 10 e 100 ton/dia e apenas 5 geram mais de 100 toneladas diárias.

VALE DO PARAÍBA

No contexto das Bacias Hidrográficas do Rio Paraíba do Sul e Litoral Norte, com 38 municípios, entre os quais 21 produzindo menos de dez ton/dia, 16 foram contemplados com recursos do Ministério do Meio Ambiente, por intermedio da Secretária de Recursos Hídricos, no valor R$ 702.083,00 mais a contrapartida do Governo de São Paulo, por meio da SMA, de R$ 302.513,00, totalizando 1.004.596,00 que permitiu que a Cetesb realizasse o diagnóstico dos resíduos em 17 dos 38 municípios e elaborasse projetos de aterros em valas e contratasse a execução de obras em oito cidades, seis das quais foram entregues às prefeituras hoje, que passam a se responsabilizar pela continuidade de operação, dentro das normas técnicas estabelecidas em manual.
Os 34municípios do Vale do Paraíba reúnem uma população de 1.474.185 habitantes. A produção de resíduos domiciliares de de 751 toneladas/dia que são distribuídos por quatro lixões, doze aterros em vala, seis em aterros sanitários, dois aterros industriais e um aterro controlado.

LABORATÓRIO

Com mais de 30 anos de operação, o Laboratório de Análises Físico-químicas e Bacteriológicas da Cetesb, na Regional da Bacia do Rio Paraíba do Sul e Litoral Norte, em Taubaté, sofreu sua primeira grande reforma durante o ano passado, voltando agora ao atendimento da população dos 38 municípios da região em novas e confortáveis instalações.
Realizando análises com 54 parâmetros que vão de ph (acides), resíduos sólidos sedimentáveis, DQO (demanda química de oxigênio) e DBO (demanda bioquímica de oxigênio), até metais pesados, o Laboratório atendeu a quase dez mil solicitações em 1998, totalizando mais de 45 mil análises.
As reformas das instalações incluíram a construção de uma nova cabine de força com capacidade de 13.800 volts, o que permitiu a instalação de uma novos equipamentos como uma autoclave. A cabine anterior fora construída em 1964 e já não tinha capacidade para atender a demanda de energia necessária para alguns aparelhos.
Os custos da reforma e a construção da nova cabine de força foram de R$ 363.621,00. O Ministério do Meio Ambiente desembolsou R$ 239.656,00, com R$ 123.965,00 de contrapartida da Secretaria do Meio Ambiente.
Laboratório da Cetesb em Taubaté, antes da reforma, já apresentava um padrão de excelência reconhecido pelo WTI – Water Technology International, do Canadá. As novas instalações, mais confortáveis e seguras para os técnicos e para o desenvolvimento das análises, permitiram a Regional da agência ambiental do Governo de São Paulo requerer credenciamento do Laboratório ao Inmetro – Instituto Nacional de Metrologia, certificado que deverá ser concedido nos próximos meses.
Hoje são realizadas análises das águas para potabilidade, balneabilidade e de efluentes líquidos industriais e sanitários. Os metais pesados são analisados pelo processo de absorção atômica.