Exposições nas estações do Metrô são boa opção de lazer nas férias

O público poderá ter acesso às exposições ao entrar na área paga do Metrô

qui, 12/07/2007 - 16h44 | Do Portal do Governo

Aqueles que vão ficar durante as férias na capital paulista podem conferir as 23 atrações artístico-culturais que fazem parte do Programa Ação Cultural do Metrô no mês de julho. As exposições, que incluem fotografia, artes plásticas, design e literatura, estão instaladas nas quatro linhas metroviárias.

O público poderá ter acesso às exposições ao entrar na área paga do Metrô (bilhete unitário a R$ 2,30). Na vitrine de ikebana, na estação Liberdade, e na vitrine do Masp, na estação Trianon-Masp, não é necessário passar pelas catracas, já que elas estão localizadas em área não-paga.

Confira os roteiros:

 

Na Linha 1-Azul (Jabaquara-Tucuruvi)

 Estação Ana Rosa

“Colégio São Luís 140 anos”, de 12 a 31 de julho – Mostra  fotográfica que reúne cerca de 40 imagens do acervo deste colégio, contando a história do desenvolvimento da cidade desde o final do século XIX. O acervo fotográfico também contempla a cidade de Itu, primeiro endereço dessa instituição de ensino, com fotos da Igreja Matriz, Av. das Palmeiras e outros pontos importantes. A exposição foi projetada e executada pelo arquiteto Júlio Abe e contou com a coordenação de pesquisa histórica de Flávia Borges Pereira e Montesserat Moreno.

 

• Estação Luz

“Letras do Coração”, de 12 a 31 de julho – Poemas e poesias do jornalista Ucho Haddad mostram a mudança comportamental que os sentimentos “gostar” e “amar” podem causar no convívio interpessoal.

 

• Estação Tucuruvi

“Rua Augusta: Sombras e Luzes”, de 12 a 31 de julho – Uma das mais famosas e badaladas ruas de São Paulo é tema da produção artística da fotógrafa Miriam Antônia Horácio. O ensaio revela imagens de tempos mais antigos e atuais.

 

• Estação Paraíso

“Passando a Limpo”, de 1º a 25 de julho – A evolução dos hábitos de higiene pessoal do brasileiro é retratada em grandes painéis de vinil em relevos. A exposição acontece em paralelo ao lançamento do livro homônimo, de Eduardo Bueno. O público que observar a mostra vai conferir uma instalação inusitada.

 

• Estação Jardim SãoPaulo

“Perdido na metrópole”, de 12 a 31 de julho –  Exposição do artista plástico e cronista Silvio Alvarez que retrata, através da técnica de colagem, paisagens urbanas, natureza e a influências da tecnologia no cotidiano das grandes cidades. Em 28 painéis circulares, Silvio abusa da criatividade tratando com bom-humor e crítica os assuntos complexos da vida nos grandes centros urbanos.

 

• Estação Liberdade

“Vitrine de Ikebana”, de 1º a 31 de julho – Na área não-paga da estação, a exposição permanente de ikebana apresenta trabalhos renovados periodicamente desta arte milenar japonesa baseada em arranjos florais e de plantas.

 

Na Linha 2-Verde (Imigrantes-VilaMadalena)

 

• Estação Alto do Ipiranga

“Ipiranga: o bairro do grito”, de 1º até 31 de julho – Marcando a estréia o Programa Ação Cultural do Metrô na nova estação, a mostra conta a história desse tradicional bairro paulistano e de seus personagens, desde os tempos em que a palavra Ipiranga era escrita com “Y”.

 

• Estação Clínicas

“Entre o Céue a Terra”, de 13 a 30 de julho – Exposição de ensaio fotográfico do céu da cidade de São Paulo. A cada imagem o céu é visto de vários ângulos, que revelam uma outra percepção da cidade e de sua arquitetura.

 

• Estação Chácara Klabin

“São Paulo, Tal e Qual”, de 12 a 31 de julho –  Série de pinturas em aquarela de personagens anônimos da cidade de São Paulo, inclusive um usuário do Metrô, retratados pelo artista plástico Eliardo  França.

 

• Estação Trianon-Masp

“Um olhar sobre a Geometria da cidade”, de 12 a 31 de julho –  O projeto, executado por 160 alunos do 1º ano do Ensino Médio Noturno do Colégio São Luís, em 2006, com a coordenação da professora Luiza Cristina Marques, utiliza o ambiente urbano como instrumento para educar o olhar na busca da identificação com a Matemática, por meio da geometria na nossa vida cotidiana. Os usuários do Metrô vão conferir o resultado desse estudo através de um ensaio fotográfico produzido pelos estudantes.

 

• Estação Imigrantes

“Rupestres – Siron Franco”, de 12 a 31 de julho – Exposição de 10 serigrafias (processo de reprodução de imagens sobre superfícies através de moldes) produzidas pelo artista Siron Franco a partir de pinturas rupestres (imagens pré-históricas em rocha) da Serra da Capivara e outros sítios arqueológicos do Brasil.

 

• Estação Vila Madalena

“O Combate ao Câncer Vai de Metrô”, de 12 a 26 de julho – Painéis informam quais as formas de prevenção ao câncer e alertam para a importância do diagnóstico precoce. No Brasil, esta doença é a segunda maior causa de mortalidade.

 

• Estação Trianon-Masp

“Renina Katz”, de 1º a 31  de julho – A Vitrine do Masp na área não-paga da estação apresenta a série de gravuras realizadas pela artista e que foram doadas para a coleção do Masp em 1994.

 

Na Linha 3-Vermelha (Corinthians/Itaquera – Palmeiras / Barra Funda)

 

• Estação República

“Red Rocket 7 uma história do Rock”, de 12 a 31 de julho – Exposição comemorativa ao Dia Mundial do Rock (13 de julho), instalada em formato de quadrinhos, conta a história de Red Rocket, personagem de outro planeta, que faz uma visita ao planeta Terra no final da década de 50. Nesta viagem maluca, ele se mistura entre os humanos e se apaixona pelo rock´n roll. O desfecho é surpreendente: por não envelhecer, Red Rocket participa de todos os grandes festivais desse gênero musical.

 

• Estação Santa Cecília

“As maravilhas do mundo”, de 12 a 31 de julho – Quer ver de perto a estátua de Zeus, o Colosso de Rodes e a estátua da Liberdade sem sair de São Paulo? O Metrô apresenta ao público a mostra de maquetes tridimensionais dos monumentos mais importantes de todos os tempos.

 

• Estação Sé

“Comércio, do Escambo ao Chip”, de 12 a 31 de julho – A mostra conta a história dos meios de pagamento no Brasil. Foi dividida em quatro módulos que traçam a cronologia desta evolução, além de mostrar as curiosidades e mudanças ocorridas nas formas de pagamento.

“O Guarani – Carlos Sciliar”, de 12 a 31 de julho – Exposição de serigrafias (processo de impressão no qual a tinta é vazada – pela pressão de um rodo ou puxador) inspirada na ópera “O Guarani”, de Carlos Gomes.

 

• Estação Brás

“O Caráter Gravado”, de 12 a 31 de julho – Mostra de poesias e ilustrações em xilogravura (processo de gravação em relevo que utiliza a madeira como matriz), que registram o universo de profissionais como ambulantes, sapateiros, marceneiros e “homens placa”.

 

Linha 5-Lilás(Capão Redondo – Lago Treze)

 

• Estação Largo Treze

“Programa Igual Diferente do MAM”, de 12 a 30 de julho – Exposição de trabalhos produzidos por pacientes dos serviços de saúde mental. A mostra contempla trabalhos bidimensionais e fotografias, com mais de 10 painéis.• Estação Santo Amaro

“Cidade Invertida”, de 12 a 30 de julho –  Com produção do fotógrafo Ricardo Hantzschel, a técnica “Pinhole” é revelada em todas as 48 imagens, que foram clicadas durante 10 oficinas que aconteceram na periferia de São Paulo, com o objetivo de proporcionar a inclusão digital em todas as comunidades.

Leia também:

Embarque na leitura

 

Da Companhia do Metropolitano de São Paulo – Metrô