Evento: Programe-se para a Virada Cultural 2006

Atividades serão realizadas nos dias 20 e 21 de maio

qua, 17/05/2006 - 8h55 | Do Portal do Governo

A Secretaria de Estado da Cultura realizará diversas atividades gratuitas durante a Virada Cultural – São Paulo 2006, que ocorre nos dias 20 e 21 de maio.  Ao todo, cerca de 500 profissionais das mais variadas áreas – entre eles, museólogos, artistas, cantores, músicos, cineastas, produtores e escritores – trabalharão para que o público tenha acesso ao melhor da cultura, em vários  pontos da capital paulista.

Para abrir a Virada Cultural –  São Paulo 2006, a secretaria distribuirá 5 mil Passaportes Culturais, que darão direito a um mês de visitação  gratuita a todos os museus do Estado participantes da Virada Cultural.  “Nossa intenção é que esses espaços sejam ponto de partida para muitas viagens aos universos do conhecimento”, explica o secretário de Estado da Cultura, João Batista de Andrade.

Os eventos ocorrerão mos seuintes espaços: Museu da Casa Brasileira (MCB), Pinacoteca do Estado, Estação Pinacoteca, Museu de Arte Sacra (MAS), Museu da Imagem e do Som, Museu da Língua Portuguesa,  Memorial do Imigrante,  Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia, estande da Secretaria no pátio em frente ao Museu da Língua Portuguesa e Rua do Choro.

Quem curte música popular brasileira (MPB) não deve perder a tradicional Rua do Choro, que antecipa o início da Virada Cultural, a partir das 14 horas do sábado. Num espaço para 10 mil pessoas, no Largo General Osório, Luz, em frente ao prédio da Secretaria da Cultura, o público poderá prestigiar a atuação do conceituado  flautista Toninho Carrasqueira, do grupo As Choronas e da Orquestra Filarmônica Infanto-Juvenil de São Paulo, sob a regência de Daniel Cornejo.

Para os adeptos do esporte, nada melhor que acompanhar o grupo de ciclistas do Circuito Pedal, que fará um passeio pelo centro da cidade, em visita aos museus históricos, a partir do prédio da Casa das Rosas, na Avenida Paulista, 37, às 19h30. Mas atenção: não se deve esquecer de utilizar os equipamentos de segurança como capacete e luvas.

Aquecendo as noites frias, o jeito é pegar uma sessão de cinema no MIS. O espaço exibirá 21 filmes da Mostra Prêmio Estímulo de Cinema. São curtas produzidos entre 1984 e 2003. A exibição dos filmes será a partir das 18 horas,  do sábado (20), às  2 horas da madrugada do domingo (21). Entre as exibições: os curtas Amor Materno, de Fernando Bonassi (1994), que trata de um momento delicado na vida de duas mulheres – a mãe e a filha, diante da possibilidade a última fazer aborto; e Poema: Cidade, de Tata Amaral e Francisco César Filho (1986), que traz um documentário sobre o prédio do Masp.

Literatura e arte são dos destaques da Virada Cultural na Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura. A abertura com a peça E Agora Drummond, baseada em poemas de Drummond aquece a noite, que traz também, entre outras atrações, a apresentação do grupo Sensus com a Performance Sensorial, a partir das 21 horas, promete novas emoções ao público. Em cena, dez atores manipulam objetos e levam o espectador, que é mantido com os olhos vendados, a aguçar seus sentidos durante a leitura de textos clássicos da América Latina. Entre os autores escolhidos estão Jorge Luis Borges, Júlio Cortazar e Eduardo Galeano.

O show musical com Pedro Osmar, Malungo e Zulu de Arrebatá, esquenta a madrugada com clássicos da MPB. A recreação para o público infanto-juvenil também está presente com a comédia Tem Cocô no Seu Chapéu, adaptada do livro Cocô de Passarinho, de Eva Furnari, a partir das 15h, do domingo. Com direção de Cacos Matos, a montagem trata de história vivida numa cidade do interior em que os habitantes se sentam na praça para conversar aos fins de tarde.

Para quem passa pela Avenida Tiradentes e nunca teve um tempinho de conhecer o Museu de Arte Sacra, não deve perder as 26 horas de programação ininterrupta do espaço na Virada Cultural -São Paulo 2006.

Com a abertura programada para às 16 horas, portanto duas horas antes do horário oficial da Virada Cultural, às 18h, a Missa Campal celebra as 24 horas de cultura. Seguindo, há a  apresentação de crianças e jovens da Orquestra Pão de Açúcar, com clássicos da música erudita, rock e da MPB.

Os shows musicais atravessam a madrugada. São várias opções e diversos estilos para todos os gostos. O Coral Accor, sob regência de Kitty Pereira; o compositor Thiago Warzeé; o grupo Mamma Cadela e  a banda de rock Zabomba, que fez trabalhos com Maria Rita, Itamar Assumpção, Rita Lee e RPM e vencedora do Grammy Latino pela co-produção do disco de estréia de Maria Rita.

Quem estiver pelo MAS vai se surpreender com as demais atrações: música instrumental no amanhecer de domingo com a Banda Lar Tia Edna e uma grande festa folclórica: a Quadrilha da Corte. Dançarinos, em trajes franceses do século XIX, simulam um casamento ao som de um repertório junino com canções de Luiz Gonzaga, Dominguinhos e Elba Ramnalho. Até à noite seguem apresentações de Chorinho, MPB e música instrumental com Leandro Cabral e The Club.

Bem pertinho do MAS, a Pinacoteca do Estado, aberta das 10h às 24h de sábado, abrirá mais duas novas exposições: Vila Olímpia, de Fernando Stickel e Sonhos Diurnos, de Marcos Duprat. O diferencial fica para o Sarau de Poesia da Cooperifa, a apresentação do flautista Toninho Timaço, entre outros. O destaque  fica por conta do passeio noturno pelo Parque da Luz, Esculturas do parque: sob uma nova Luz,  portando lanternas, sob a coordenação de um educador; também a surpreendente performance Speaker’s Cporner, de Verônica Cordeiro, que reunirá um grupo, vestido de abrigos feitos de jornais, o qual atravessará um percurso urbano de três horas, rumo ao coreto do Parque da Luz, local que se transforma no palco de pronunciamentos e desagravos públicos.

Imperdível ainda são as mostras do Museu da Língua Portuguesa, no Memorial do Imigrante e no Museu da Casa Brasileira. No primeiro, a exposição Grande Sertão: Veredas, além de performances literárias com artistas convidados, no Café. No segundo, as exposições:  O Café, dos Campos aos Salões; Imigração Japonesa e  Salão dos Ofícios, além do passeio de locomotiva Maria Fumaça, no trecho Mooca-Brás. Já no MCB, haverá visitas guiadas e monitoria especial a exposição Santos Dumont Designer, além do tradicional baile, das 20 às 22 horas, do sábado, comandado pela Orquestra Mundana, de Carlinhos Antunes. O Museu da Língua Portuguesa e o MCB funcionarão no sábado, das 10h às 24h, já no domingo, das 10 às 18. Já o Memorial do Imigrante vai abrir até às 22 horas, no sábado, encerrando o expediente, às 18h de domingo.

Assessoria de imprensa da Secretaria da Cultura