Esalq completa 100 anos e torna-se sede do Governo paulista por dois dias

Alckmin realiza reunião de secretariado, entrega mérito científico e tecnológico, além de participar de comemorações do centenário

sáb, 02/06/2001 - 9h29 | Do Portal do Governo


Alckmin realiza reunião de secretariado, entrega mérito científico e tecnológico, além de participar de comemorações do centenário

Piracicaba transforma-se na Capital do Estado de São Paulo nos dias 2 e 3 de junho e a sede do Governo paulista é transferida para a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), uma homenagem ao centenário da faculdade, que faz parte da Universidade de São Paulo (USP). “A Esalq é um patrimônio do Estado.
É um orgulho para nós, paulistas. É responsável pelos grandes avanços científicos, tecnológicos, por essa agricultura de ponta que São Paulo tem, por esses avanços no agrobusiness”, observa o governador Geraldo Alckmin.

Entre as atividades do Governo, nesses dois dias, destacam-se, no sábado: reunião com o secretariado, visita ao campus, audiência ao prefeito de Piracicaba, José Machado, e reunião do Conselho de Reitores das Universidades do Estado de São Paulo (Cruesp), além da outorga do Mérito Científico e Tecnológico para a Esalq e premiação de 80 cientistas e pesquisadores que obtiveram destaque nas áreas da agricultura e agronomia. No domingo, o governador participa da inauguração do primeiro trecho do prolongamento da Rodovia dos Bandeirantes, de Campinas a Santa Bárbara D’Oeste, e da Solenidade do Centenário da Esalq. Em janeiro do ano passado, o Governo do Estado também mudou sua sede por três dias, daquela vez para a cidade de São Vicente, em razão das comemorações dos 500 anos do descobrimento do Brasil.

A Esalq

Fundada em 1901, por iniciativa de Luiz Vicente de Souza Queiroz, que doou ao Governo do Estado a fazenda São João da Montanha para que lá se criasse uma escola agrícola, a Esalq chega ao ano 2001 com 1.350 alunos de graduação nos cursos de Engenharia Agronômica, Engenharia Florestal, Economia Agroindustrial e Ciências dos Alimentos, e 898 alunos em 27 cursos de pós-graduação. São 222 professores (208 com título de doutor ou acima) e 799 funcionários. Números bem diferentes de cem anos atrás, quando 11 alunos iniciaram seus estudos na então Escola Agrícola Prática de Piracicaba. Até 1934, a Escola fez parte da Secretaria de Agricultura e depois passou a integrar, como unidade fundadora, a Universidade de São Paulo.

Em 1931, a faculdade recebeu o nome atual, em homenagem ao seu idealizador. No ano de 1964 tiveram início os cursos de pós-graduação em nível de mestrado e, em 1970, em nível de doutorado. A área total do campus em Piracicaba é de 3.728 hectares, com área construída de mais de 180 mil metros quadrados, onde estão instalados 11 departamentos. A Esalq conta ainda com estações experimentais em Itatinga e Anhembi, na região de Botucatu, e em Anhumas, na região de Presidente Prudente, além de outra em Londrina, no Paraná, totalizando 6,6 mil hectares.

Mais de 9,5 mil profissionais formados

Desde sua fundação, a Esalq já formou 8.700 engenheiros agrônomos e 518 engenheiros florestais. No curso de Economia Doméstica, que funcionou de 1967 a 1991, foram mais 338 formandos, num total de mais de 9,5 mil profissionais graduados pela instituição. O curso de Economia Agroindustrial foi criado em 1998 e o de Ciências dos Alimentos em 2001. Anualmente, são abertas 200 vagas para Engenharia Agronômica, 40 para Engenharia Florestal, 40 para Ciências dos Alimentos e 20 para Economia Agroindustrial.

Desde 1995 é oferecido também o programa de Licenciatura em Ciências Agrárias. Na área de pós-graduação existem atualmente 15 cursos em nível de mestrado e 12 em nível de doutorado. Até janeiro deste ano já tinham sido defendidas 3.276 dissertações e 1.156 teses. No ano passado, a Esalq obteve grau “A” na avaliação do Exame Nacional de Cursos promovido pelo MEC.

Pesquisa e apoio à comunidade

A Esalq mantém convênios para o desenvolvimento técnico-científico com universidades e instituições de pesquisas do Brasil e do exterior e seus professores têm participação atuante em eventos do setor de Ciências Agrárias. Suas publicações também contam com o reconhecimento internacional. A instituição presta ainda assessoria a empresas públicas e privadas e oferece serviços à comunidade, como a clínica fitopatológica (patologia vegetal) e nematológica (relativo a parasitas do solo) e análises de solos e plantas. Milhares de atendimentos são realizados todos os anos. O corpo docente da faculdade participa de projetos e na implantação de programas de desenvolvimento de comunidades rurais.

Mérito Científico e Tecnológico

A Medalha Paulista Mérito Científico e Tecnológico de 2001 será entregue aos 80 cientistas e pesquisadores que obtiveram destaque nas áreas da agricultura e agronomia.

Além disso, a Esalq receberá o Troféu “Árvore dos Enigmas”. A premiação foi criada em fevereiro do ano passado pelo governador Mário Covas como forma de reconhecimento às instituições e pessoas físicas que se destacaram nas áreas científicas e tecnológicas. A primeira edição do prêmio homenageou 192 pesquisadores e 35 laboratórios envolvidos no Projeto Genoma. Esse grupo desvendou a genética do microorganismo vegetal Xylella fastidiosa (bactéria responsável pela praga do Amarelinho).