Educação: Alunos podem se candidatar às bolsas de estudo do Programa Escola da Família

Os interessados devem se cadastrar no site www.escoladafamilia.com.br

ter, 07/03/2006 - 9h10 | Do Portal do Governo

Os alunos que concluírem o Ensino Médio por meio do projeto Escola da Juventude agora podem se candidatar às vagas de educador universitário, oferecidas pelo Programa Escola da Família. Ao ser chamado para a vaga é preciso estar matriculado em uma instituição de ensino superior, conveniada ao programa Escola da Família.

 Os interessados devem se cadastrar no site www.escoladafamilia.com.br . As inscrições são abertas periodicamente.

 A medida poderá beneficiar 21 mil jovens e adultos, matriculados no projeto Escola da Juventude e que começam a se formar a partir de abril deste ano.

 Vale lembrar que a bolsa de estudos é integral. O Governo do Estado de São Paulo paga 50% do valor da mensalidade, até o limite de R$ 267,00, enquanto a instituição de ensino superior parceira cobre o restante. O bolsista atua como educador universitário nos finais de semana – das 9 às 17 horas – na escola estadual para a qual for encaminhado.

 

 Escola da Juventude

O Escola da Juventude ocorre em 316 escolas estaduais da capital, Grande São Paulo e interior do Estado. O curso é dividido em módulos e os alunos ainda contam com uma hora e 30 minutos de aula de inclusão digital. As aulas são ministradas somente nos fins de semana e o curso tem duração de 18 meses

 O Escola da Juventude é um importante projeto de inclusão social, que além de dar a oportunidade de conclusão do Ensino Médio para milhares de pessoas, ainda lhes abre as portas para o mercado de trabalho, sempre tão exigente. Com esta medida, agora poderemos oferecer à estes formandos a possibilidade de continuidade dos estudos em nível superior, ou seja, eles poderão se inscrever no bolsa-universidade do Programa Escola da Família, que passará a aceitar o cadastro do estudante certificado pelo Escola da Juventude” , explica a coordenadora executiva do Escola da Família, Cristina Cordeiro.

 Até então, os critérios para se inscrever no bolsa-universidade do Escola da Família exigiam que o candidato tivesse estudado os três anos do Ensino Médio em escola pública estadual ou municipal, e em casos especiais, nos Cefam´s (Centro Específico de Formação e Aperfeiçoamento do Magistério), nas Escolas Técnicas Estaduais (ETE´s) ou supletivo presencial obrigatório, também em escola estadual.

Com a mudança, o certificado obtido via Escola da Juventude também será válido. “O Escola da Juventude possui uma dinâmica diferenciada dos cursos tradicionais de Educação de Jovens e Adultos e por utilizar as novas tecnologias da Informação para acelerar o processo de aprendizagem, permite ao aluno o término do Ensino Médio em 18 meses. Com a integração dos projetos, os formandos deste curso terão a chance de tentar continuar seus estudos”, acrescenta a coordenadora do Projeto, professora Leila Maillo.

 Escola da Família X Bolsa-Universidade

Implantado em 23 de agosto de 2003, o Escola da Família abre 5.306 escolas da rede estadual paulista nos fins de semana, com centenas de atividades de esporte, cultura, qualificação para o trabalho e saúde.

 O Escola da Família bate recordes de público – com mais de 140 milhões de participações múltiplas – e de aceitação, com forte impacto na redução dos índices de violência. Este é o resultado do comprometimento de 5.306 educadores profissionais, 30 mil educadores universitários bolsistas, mais de 40 mil voluntários, 5.306 diretores ou vice-diretores, 89 supervisores de ensino, 89 assistentes técnico-pedagógicos, 315 coordenadores de área e 89 dirigentes regionais de ensino.

 O programa oferece atualmente 50 mil bolsas de estudos para os bolsistas universitários – sendo 35 mil vagas para as escolas estaduais e 15 para os municípios conveniados.