Curso de Pintores promovido da CDHU forma primeira turma

Ação integra Programa São Paulo de Cara Nova que recupera moradias em União de Vila Nova

ter, 30/09/2008 - 8h10 | Do Portal do Governo

O secretário de Estado da Habitação e presidente da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), Lair Krähenbühl, e o arquiteto e urbanista Ruy Ohtake participaram nesta segunda-feira, 29, da cerimônia de formatura da primeira turma do Curso de Formação de Pintores da União de Vila Nova, Jardim Pantanal.

O treinamento é parte do Programa São Paulo de Cara Nova, desenvolvido pela CDHU para finalizar a primeira etapa do Projeto Pantanal, processo de urbanização integrada desenvolvido pela Companhia no local.

O programa São Paulo de Cara Nova tem, entre suas finalidades, a valorização da paisagem urbana da periferia da Capital. Inicialmente, 300 casas em União de Vila Nova terão as paredes externas rebocadas ou chapiscadas e pintadas, conforme projeto cromático assinado por Ohtake. O secretário Lair Krähenbühl afirmou que todas as construções do local, cerca de cinco mil imóveis, receberão o mesmo tratamento. Segundo o secretário, esse projeto-piloto servirá de modelo para outros núcleos residenciais em estágio de urbanização.

Patrocinado pela Associação Brasileira de Fabricantes de Tintas, o Curso de Formação de Pintores ofereceu qualificação profissional para nove moradores da comunidade de União de Vila Nova. Durante o curso, os alunos aprenderam técnicas de pintura em parede e textura. Os moradores, atualmente desempregados, receberão uma bolsa estágio no valor de R$ 450,00 mensais para colorir as primeiras 300 casas.

Os alunos obtiveram o certificado de conclusão do curso hoje, entregue pelo secretário Lair Krähenbühl, e poderão, assim que finalizado o projeto de pintura, buscar outras opções no mercado de trabalho. “Esses jovens servirão de exemplo e serão agentes multiplicadores do conhecimento adquirido. Formam-se aqui hoje artistas responsáveis por dar uma nova cara à cidade de São Paulo”, disse o secretário.

Um dos formandos é Edson Silva dos Reis, 34 anos. Há dois meses desempregado, Reis espera integrar-se ao mercado de trabalho com as técnicas aprendidas durante o treinamento. “Já recebi duas propostas de emprego. Tenho minha esposa e três filhos para criar e preciso muito trabalhar para sustentá-los”, disse. Ele ainda comemorou poder aplicar os ensinamentos que teve no curso. “É bom começar a praticar desde já, enquanto as lições ainda estão recentes na cabeça”, explicou.

O arquiteto Ruy Ohtake disse que o envolvimento da comunidade é fundamental para o sucesso do Programa São Paulo de Cara Nova. Segundo o urbanista, os jovens estão preparados para realizar bons trabalhos e trazer mais qualidade de vida para as famílias do bairro. “Tenho certeza que esses rapazes vão fazer bonito por União de Vila Nova. Aprender uma profissão eleva a auto-estima do indivíduo, que passa a valorizar mais a comunidade e transmite esse sentimento para as outras pessoas. Munidos do mesmo desejo, todos vão cuidar melhor das casas”, afirmou.

O Projeto Pantanal é desenvolvido em uma área de cerca de 908.000 m2, onde estão localizados os núcleos União de Vila Nova e Vila Nair, ocupações irregulares, e o empreendimento Vila Jacuí. Trata-se de um projeto completo de atendimento habitacional e prevê investimento de R$ 147 milhões com obras de urbanização como, implantação de redes de água, esgoto e energia elétrica, iluminação pública, pavimentação de ruas, paisagismo, sistema de lazer, além de obras estruturais como canalização dos córregos e drenagem para acabar com as enchentes. O objetivo é criar infra-estrutura e transformar o local em um novo bairro.

Na primeira etapa já concluída foram investidos R$ 43 milhões, beneficiando 4.831 famílias, sendo 2.385 em urbanização e 2.446 em novas moradias. Os recursos previstos para a 2ª etapa, cujas obras já estão em execução ou em licitação, são de R$ 103.9 milhões. Serão beneficiadas mais 3.479 famílias; 2.915 com a urbanização e 564 com novas moradias. Quando o processo for finalizado, 8,3 mil famílias serão beneficiadas e todas as casas estarão com as fachadas pintadas.

O Projeto Pantanal inclui ações sociais que visam despertar na população a consciência da cidadania, valorizar o bairro, e incentivar a manutenção e apropriação das áreas públicas. São exemplos o projeto “Arte de União”, em parceria com a ONG Casa do Zezinho, e o “Amigos da Praça”, em parceria com o Escritório Projeto Paulista de Arquitetura.

Da CDHU