Cultura: Secretaria lança Circuito Popular de Cinema neste domingo

O ingresso sai no máximo por R$ 4 (inteira) ou meia entrada

dom, 05/11/2006 - 11h59 | Do Portal do Governo

O Dia da Cultura e do Cinema Brasileiro, 5 de novembro, será também o dia de lançamento do PopCine – Circuito Popular de Cinema, projeto de democratização do cinema criado pela Secretaria de Estado da Cultura, em parceria com o Centro de Promoção do Cinema (CPCine). Idealizada pelo secretário João Batista de Andrade e levada a debate durante o I Festival Internacional Latino-Americano de Cinema, em julho, a iniciativa pretende instalar salas de exibição em cidades e regiões da capital onde não há espaço coletivo para se ver filmes.

O piloto, construído na rua Maria Antônia, 283 – tradicional trecho universitário e da luta estudantil de São Paulo –, será entregue à comunidade em evento a partir das 20h. Foram confirmados os primeiros dez municípios que irão adotar a idéia – e outros 35 ainda estão em negociação, sempre com a participação da prefeitura e da comunidade. São as cidades de Assis, Botucatu, Bauru, Catanduva, Cordeirópolis, Jaú, Marília, Ourinhos, Santa Bárbara do Oeste e São José do Rio Preto. Cada sala terá até 100 lugares. A secretaria patrocina o projeto e a formação das equipes, enquanto o município cede o espaço e sua adaptação, quando necessária.

Tudo isso a um baixo custo para implantação: graças à tecnologia digital, não ultrapassa R$ 60 mil. O ingresso sai no máximo por R$ 4 a inteira – com meia entrada. “Queremos dar uma chance a boa parte da nossa cultura que está deixando de se expressar”, destaca Andrade. “O cinema digital é um desafio para o Brasil e deve se tornar um hábito saudável aos mais de 160 milhões de brasileiros, que não têm acesso a esse tipo de arte”, acrescenta o secretário.

A proposta do PopCine é fazer uma programação diversificada, de acordo com o interesse de cada comunidade. Quer também utilizar o espaço como ponto de encontro de crianças, jovens, adultos, idosos e reviver as antigas matinês. Estão previstos ainda encontros literários, discussões filosóficas, mostras culturais, cursos e saraus. Além disso, qualificar as demais equipes que formarão o circuito  PopCine, no Estado. Os cursos vão da História do Cinema a Organização de Entidades. Ao todo, “são 48 horas de treinamento para que os circuitos tenham vida própria”, explica Moara Passoni, coordenadora de programação e formação de acervos do programa.

“Em cartaz, filmes que constituem a nossa identidade nacional”, destaca Fernando Caxassa, presidente do CPCine. Entre as primeiras exibições, obras cinematográficas de talentos do cinema brasileiro. Serão feitas também exibições voltadas ao o que há de melhor fora do circuito hollywoodiano, com ênfase nas boas produções latino-americanas, européias e asiáticas. “Uma sala de cinema na cidade ou no bairro contribui para elevar a auto-estima da comunidade”, destaca Felipe Macedo, coordenador do projeto.

O PopCine também fechou a parceira “O Cinema é uma Escola” com a Secretaria Estadual da Educação. Por um mês, 3.240 alunos das escolas Caetano de Campos e Marina Cintra terão acesso gratuito ao espaço. As sessões serão programadas de segunda a sexta-feira, às 9h30 e às 14h30, e as segundas e terças-feiras, às 20h.

Antes de sair do papel, o PopCine despertou o interesse de outros estados como Espírito Santo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Norte, que devem viabilizar brevemente o PopCine em algumas de suas cidades. “Acreditamos nesse resgate do cinema imaginário e na propaganda boca a boca”, destaca Maria Izabel Correa, administradora do programa. “É uma proposta maravilhosa, democratiza o acesso, ajuda na formação de platéias, cria novos mercados para produtores e divulga nosso cinema, ampliando dessa maneira os horizontes dos que têm acesso a essa nova oportunidade”, resume a secretária-geral da Associação Paulista de Cineastas, Débora Ivanov.

Da Secretaria da Cultura

C.A.