Crack é a droga mais utilizada por 73% dos pacientes que procuram a primeira clínica pública do País

Localizada em São Bernardo, clínica atendeu 233 pacientes em seu primeiro ano de funcionamento

seg, 12/04/2010 - 19h00 | Do Portal do Governo

Levantamento inédito realizado após o primeiro ano de funcionamento da primeira clínica pública para dependentes em álcool e drogas do Brasil, ligada a Secretaria da Saúde, aponta que 73% dos pacientes em recuperação consumiam preferencialmente crack. O estudo aponta ainda que metade dos dependentes utilizavam mais de uma droga. O crack e o álcool aparecem como as principais.

A unidade, inaugurada em março de 2009, é uma parceria entre a Secretaria da Saúde, Grupo de Saúde Bandeirantes e a Unifesp. A clínica está localizada em São Bernardo do Campo e atendeu 233 pacientes ao longo dos últimos 12 meses.

Estudo realizado a partir do perfil dos pacientes mostra que os homens são responsáveis pela maior parte das internações, representando 82% dos pacientes, contra 18% de mulheres. A média de idade é de 35 anos. Entre os pacientes, 54% são solteiros, 21% divorciados ou separados e 15% casados.

O modelo da unidade propõe o gerenciamento dos casos individualizados dentro de um programa de estratégias terapêuticas. A desintoxicação do paciente acontece fora do ambiente hospitalar para o qual essas pessoas costumam ser encaminhadas.  

Todos os pacientes atendidos foram encaminhados por outras unidades de saúde. A clínica possui uma participação ativa de uma equipe multiprofissional. “Trata-se de um local com abordagem e tratamento diferenciados, modelo inédito na rede pública. Completamos um ano de sucesso e inovação, oferecendo à população um aparelho extremamente eficiente e gratuito”, afirma o secretário da Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata.

Durante os cerca de 40 dias de internação, que varia conforme o caso, os pacientes têm uma grade de atividades diárias. Entre elas estão grupo de sentimentos e valores, grupo de sexualidade, grupo específico para dependentes químicos e grupo de dança de ritmos caribenhos.  Todo o projeto de atendimento, orientação técnica e terapêutica da unidade são desenvolvidos pelo médico Ronaldo Laranjeira, professor titular do Departamento de Psiquiatria da Universidade de São Paulo.

A clínica está localizada na Rua José Odorize, 618 – Bairro Assunção – São Bernardo.

Da Secretaria da Saúde