CPTM registra diminuição nos casos de vandalismo nos trens

Os números do ano passado representam 560 casos de vandalismo a menos, em relação ao exercício de 2007

qui, 19/02/2009 - 20h07 | Do Portal do Governo

Os casos de vandalismo contra as composições da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) diminuíram nos últimos três anos. De acordo com a empresa, em 2008, foram registradas 2.662 ocorrências desse tipo, contra os 3.222 no ano anterior e 4.210, em 2006. Para reparar os prejuízos do ano passado, foram gastos R$ 3.343.048,92. Desse total, R$ 320.553,00 foram empregados no conserto de portas e janelas de trens, que somam o maior número de itens danificados: 771.

Os números do ano passado representam 560 casos de vandalismo a menos, em relação ao exercício de 2007, quando foram registradas 3.222 ocorrências de vandalismo, e despendidos R$ 2.477.634,57 (valores não corrigidos) para repor o material danificado. A tendência de queda também aparece em 2006. Naquele ano, a companhia registrou 4.210 casos, contra os 4.403 compilados em 2005.

As ocorrências aconteceram nas seis linhas do sistema. Portas, janelas, lacres de extintores de incêndio, luminárias e bancos foram os principais alvos dos vândalos.

Atos de vandalismo contra trens da CPTM não prejudicam somente a empresa, como podem pensar algumas pessoas. Os danos a composições atingem principalmente os usuários, que são afetados pela retirada de circulação das composições por períodos que variam de horas a dias. Outro reflexo refere-se aos custos com os reparos, pois o valor despendido nessas intervenções acaba retardando benfeitorias no sistema.

Prevenção

A CPTM investe em segurança a fim de inibir os vândalos. Para isso, reforça o patrulhamento ostensivo e preventivo no interior das composições organizando rondas 24 horas nos 257 quilômetros da malha ferroviária, além de blitze e operações especiais com a participação das polícias Militar e Civil.

Em casos de denúncia, o anonimato é garantido. A empresa pede a colaboração dos usuários e os orienta a procurarem os funcionários nas estações ou comunicarem o fato através de SMS para o Disque Denúncia pelo telefone 7150-4949 ou ao Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU), pelo tel. 0800-0550121, gratuitamente.

Comunidade Participativa

O programa tem o objetivo de aproximar a CPTM das comunidades vizinhas à ferrovia, despertá-las para o espírito de cidadania e conservação do patrimônio público, ouvir suas demandas e estabelecer parcerias. Desde 2000, a iniciativa é levada a todas as regiões da Grande São Paulo atendidas pelos trens: usuários, líderes comunitários e representantes do Poder Público e da sociedade.

As reuniões tratam do combate ao vandalismo, enfatizando os prejuízos acarretados a milhares de pessoas. Abordam, ainda, os perigos de se transpor as linhas em locais proibidos, propostas de projetos culturais em estações, as melhorias nos trens, áreas invadidas, até o consumo ilegal de drogas dentro das composições e o reforço da segurança.

Projeto Grafite

Trocar a pichação de trens, estações e muros pela arte do grafite é a proposta da CPTM para os jovens da Região Metropolitana. O Projeto Grafite já mudou o visual de vários quilômetros de muros dos municípios de São Paulo, São Caetano, Santo André, Ferraz de Vasconcelos, Barueri, Jandira e Poá. A iniciativa é possível graças a parcerias com grafiteiros locais e apoios de prefeituras, universidades, empresas e ONGs.

Projeto Fala Aí, Comunidade

Criado em fevereiro de 2007, o projeto é realizado mensalmente no Espaço Cultural CPTM, na Estação Brás, a fim de divulgar e valorizar as atividades desenvolvidas pelos moradores dos 22 municípios vizinhos da linha férrea. O objetivo é aproximar as comunidades, oferecendo o espaço público para que os usuários utilizem-no de forma cidadã. Selecionados por intermédio de associações e ONGs, os grupos têm a oportunidade de interagir na troca de informações sobre a história e peculiaridades das diversas manifestações culturais. Também são realizadas campanhas de conscientização dos usuários com distribuição de folhetos educativos e fixação de adesivos nos trens e estações.

Da CPTM