Projetos da Saúde incentivam a boa alimentação em crianças

Rodrigo Amaral | 9 de outubro de 2018 |

O incentivo a uma alimentação equilibrada e saudável é fundamental para o desenvolvimento sadio de uma criança. Além de evitar uma série  de doenças, a adesão de bons alimentos oferece disposição para quem está em fase de crescimento.

Conheça abaixo dois programas para incentivar a alimentação saudável infantil pela Secretaria Estadual da Saúde.

Criado em 2011, o projeto Aprenda a se Alimentar Brincando foi desenvolvido pelo setor de nutrição do Hospital Infantil Darcy Vargas com o objetivo de auxiliar na educação nutricional dos pacientes internados. Durante cada encontro – promovido semestralmente desde 2016 – é promovida uma palestra nutricional para os pacientes, ensinando como montar um lanche saudável, quais alimentos devem ser incluídos na dieta e os benefícios para o nosso organismo. Após a aula teórica, a equipe de nutrição ajuda os pacientes e acompanhantes a montarem os lanches.

“Com a transição epidemiológica nos grandes centros urbanos, as famílias deixaram de fazer as suas refeições em casa e consomem cada vez mais alimentos industrializados (com elevado teor de gordura e sódio)”, explica a nutricionista e Diretora Técnica do Hospital Darcy Vargas, Márcia Viola sobre a importância do projeto.

Para ajudar na melhor compreensão do público infantil a Equipe Técnica do Serviço de Nutrição e Dietética desenvolveu uma série de atividades, como feiras de alimentos, gincanas, montagem de pirâmide de alimentos, montagem de pratos e refeições saudáveis (alimentos em réplica), maquete sobre rótulos de alimentos e teatro de fantoches.

Com os resultados alcançados pelo projeto, foi desenvolvido paralelamente pela unidade um cardápio saudável que atendesse às necessidades de todos os pacientes e seus acompanhantes. Mensalmente, a equipe responsável realiza uma revisão do cardápio para verificar quais alimentos devem ser incluídos no menu, levando em consideração aqueles que são funcionais e ricos em antioxidantes.

O Meu Pratinho Saudável é uma ação das secretarias da Saúde e da Educação voltada para crianças de seis meses a 12 anos. Em 2013, o programa deverá chegar a 130 escolas de 28 diretorias de ensino na capital e Grande São Paulo. Um dos principais conceitos da ação prevê que nas refeições principais, a metade do prato da criança seja preenchida com verduras e legumes (crus e cozidos).

A composição do prato deve ter ainda 1/4 de alimento rico em proteínas (carne vermelha, frango, peixe, ovos), complementado com leguminosas como feijão, grão de bico, soja, lentilha. O outro 1/4 é reservado para carboidratos, de preferência em sua forma integral como arroz, massas, batatas, mandioca, mandioquinha, farinhas.

O café da manhã e os lanches devem conter pelo menos um alimento rico em proteínas (iogurtes, queijos magros, leite desnatado, leite de soja sem açúcar, queijos processados reduzidos em gorduras, leite fermentado, ovo, peito de peru); um alimento rico em carboidratos, de preferência fonte de fibras (torradas, pães, biscoitos de fibras, cookies integrais, barras de cereal, cereal integral) e um alimento de origem vegetal, como uma fruta.

“A obesidade infantil é uma doença que causa problema sérios, como hipertensão, colesterol alto e diabetes. Por isso, é tão importante as crianças e adolescentes saberem fazer refeições saudáveis, e levarem esses hábitos para dentro de casa”, diz a Dra. Elisabete Almeida, coordenadora do programa.

Lançado em janeiro de 2013, o programa Alimentação Saudável foi implantado com o intuito de capacitar professores e merendeiras e promover uma mudança no cardápio dos estudantes. A ação vai alcançar 92 mil alunos, em 128 escolas estaduais da capital e Grande São Paulo.

As universidades que oferecem curso de nutrição podem fazer convênios com a Secretaria da Educação para estágio supervisionado de seus estudantes nas escolas estaduais. No Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, crianças com obesidade recebem tratamento no Ambulatório de Obesidade.