Confira a agenda cultural do Diário Oficial

Programação com shows, cinema, teatro e exposições

sex, 22/02/2008 - 10h48 | Do Portal do Governo

Um dos destaques da agenda cultural do Diário Oficial é a série de eventos gratuitos em comemoração aos 107 anos do Instituto Butanan. Uma das principais atrações é o show do cantor Tom Zé, que acontece neste sábado, 23. Confira essas e outras opções no roteiro a seguir:

 

DESTAQUE DA SEMANA

Instituto Butantan comemora 107 anos com show de Tom Zé  – Uma série de eventos gratuitos marcará os 107 anos do Instituto Butantan, amanhã (23). A comemoração começa com a inauguração do mosaico Fragmentos & Sentimentos da artista plástica Claudia Sperb. O “tapete” de 198 metros quadrados foi confeccionado por 150 voluntários, entre artistas e leigos. Tem como ilustrações serpentes, aranhas, escorpiões, lagartos e macacos.

A comemoração termina com a apresentação de Tom Zé, que cantará sucessos de sua carreira, como 2001, Parque Industrial e São, São Paulo meu amor. Os interessados devem retirar o ingresso (limitado a um por pessoa) no Museu Biológico, duas horas antes da apresentação. Além disso, os três museus do Butantan – Biológico, Histórico e de Microbiologia – terão entrada franca no dia do aniversário.  

SERVIÇO: 

Inauguração do mosaico – Local: Praça Vital Brazil, ao lado do Museu Histórico. Sábado, 23, às 11 horas.

Show de Tom Zé – Local: Auditório do Museu Biológico. Sábado, 23, às 14 horas 

Visitação gratuita aos museus do Instituto Butantan. Sábado, 23, das 9 às 16h30 

Instituto Butantan – Avenida Vital Brasil, 1.500 – São Paulo. Telefone (11) 3726-7222 – ramal 2063.

 

CINEMA

Marcas da violência – Mostra do Cinusp reúne filmes que têm a violência como tema, tanto aqueles que a abordam de maneira sutil como os que tratam do assunto de forma mais brutal e explícita. 

·         Notícias de uma guerra particular – Direção de João Moreira Salles e Kátia Lund. Cenas do cotidiano do combate à violência nas favelas e depoimentos de envolvidos nessa guerra (moradores à mercê dos conflitos armados, policiais, traficantes, especialistas em segurança pública), se intercalam construindo uma narrativa que investiga a violência nos morros do Rio de Janeiro. Vencedor do prêmio de melhor documentário no festival É Tudo Verdade. Segunda-feira, 25, e quarta-feira, 27, às 16 horas 

·         O invasor – Direção de Beto Brant. Anísio é contratado como matador de aluguel para eliminar um terceiro sócio de uma firma, cujos escrúpulos atrapalham uma negociação da empresa com o governo. Feito o combinado, os outros dois empresários acreditam que poderão voltar às suas vidas normais. Segunda-feira, 25, às 19 horas; Terça-feira, 26, às 16 horas; Quinta-feira, 28, às 19 horas; Sexta-feira, 29, às 16 horas. 

·         Na companhia de homens (In the company of men)- Direção de Neil Labute. Abandonados por suas namoradas, dois executivos decidem vingar-se do sexo frágil. A vítima perfeita é a secretária Cristine, surda e muda. Os dois homens a seduzem e a abandonam. Porém, um tenso embate psicológico se desenvolve entre os dois. Terça-feira, 26, Quarta-feira, 27, e Sexta-feira, 29, às 19 horas; Quinta-feira, 28, às 16 horas. 

SERVIÇO: Entrada franca. Cinusp Paulo Emílio – Rua do Anfiteatro, 181 – Colméia – Favo 4 (Projeção) – Cidade Universitária – São Paulo. Telefone (11) 3091-3540.

Iracema, uma transa amazônica – Direção de Jorge Bodansky e Orlando Senna. Menina do interior conhece, num cabaré, motorista de caminhão, negociante de madeira. Juntos, saem pela Transamazônica, testemunhando problemas que a estrada traria para a região: desmatamento, queimadas, trabalho escravo, prostituição infantil. 

SERVIÇO: Sábado, 23, às 20 horas. Entrada franca. Cineclube de São Carlos – Rua Nove de Julho, 1.227 – São Carlos. Telefone (16) 3373-9772.

 O ano que vivemos em perigo (The year of living dangerously)  – Direção de Peter Weir. Indonésia, 1965. Em sua primeira missão internacional, ambicioso repórter australiano vai a Jacarta cobrir a agitação dos últimos momentos do regime de Sukarno. Em meio à revolução no país, recebe ajuda de um fotógrafo, que faz importantes contatos com as facções em luta e o apresenta a uma funcionária da embaixada americana, com quem se envolve num romance.

SERVIÇO: Sábado, 23, às 14 horas. Entrada franca. Memorial do Imigrante – Rua Visconde de Parnaíba, 1.316 – São Paulo. Telefone (11) 6692-1866.

 

TEATRO

Assombrações do Recife Velho – A Cia. os Fofos Encenam traz espetáculo de Gilberto Freyre. Com prosa criativa e bem-humorada, o autor e cientista social apresenta o universo próprio do sobrenatural do povo recifense.  

SERVIÇO: Terça-feira, 26, às 19 horas. Entrada franca. Museu da Língua Portuguesa – Espaço Café – Praça da Luz, s/no – São Paulo. Telefone (11) 3326-0775.

A servidão – Adaptação do texto Of human bondage, de W. Somerset Maughan. A Companhia Teatral Odeon, de Belo Horizonte, apresenta a história de Philip Carey, menino feliz, amado pelos pais, que nasce com um defeito no pé esquerdo. Isso o faz mancar e desperta ora piedade, ora escárnio dos que com ele convivem. 

SERVIÇO: Sexta-feira e sábado, 21 horas. Domingo, 20 horas. Ingresso: R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia-entrada). Até 9 de março. Tusp – Teatro da USP- Rua Maria Antônia, 294 – São Paulo. Telefone (11) 3255-7185 – ramais 40 a 43.

 

MÚSICA

Banda Sinfônica do Estado – Abel Rocha rege a Banda Sinfônica do Estado que se apresenta em Jundiaí. No repertório, os temas Frevo rasgado (André Mehmari), Concerto de Brandenburgo nº 3 (Johann Sebastian Bach), Vienna fanfarre (Richard Strauss), Prelúdio sinfônico (Giacomo Puccini) e Danças do Balé Estância (Alberto Ginastera). 
 
SERVIÇO: Domingo, 24, às 11 horas. Entrada franca. Teatro Municipal Polyteama – Rua Barão de Jundiaí 160 – centro. Telefone (11) 4586-2472.

Dominó Sinfônico – Sob a batuta de Carlos Moreno, a Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo (Osusp) apresenta um pout pourri de grandes sucessos da música clássica mundial. No programa, composições de Wolfgang Amadeus Mozart, Antonio Vivaldi, Ludwig van Beethoven e PiotrTchaikovsky. Apresentação de Wellington Nogueira, fundador do Doutores da Alegria

SERVIÇO: Quinta-feira, 28, às 12 horas. Entrada franca. Anfiteatro Camargo Guarnieri – Rua do Anfiteatro, 109 – Cidade Universitária – São Paulo. Telefone (11) 3091-3000.

Dóris Monteiro – A cantora inicia a temporada 2008 do Projeto Adoniran. Acompanhada pelo tecladista Ricardo Júnior, interpreta Dó ré mi (Fernando César), Mocinho bonito (Billy Blanco), a Banca do distinto (Billy Blanco), Caminhemos (Herivelto Martins), Mudando de conversa (Hermínio Bello de Carvalho e Maurício Tapajós), Conversa de botequim (Noel Rosa e Vadico), Isto é o que é (Ary Barroso), Valsa de uma cidade (Antonio Maria), Copacabana (Braguinha), Molambo (Jayme Florence), Se todos fossem iguais a você (Tom Jobim), entre outras.

 SERVIÇO: Quinta-feira, 28, às 20h30. Entrada franca. Não haverá emissão de ingressos.  A sala será aberta ao público às 19h30. Memorial da América Latina –  Sala especial (Portão 13) – Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 – São Paulo – SP. Telefone (11) 3823-4600.
Histórias do Brasil – A Companhia Tempo de Brincar, formada pela contadora de histórias e artista plástica Elaine Buzato e pelo músico e compositor Valter Silva, interpreta histórias e cantigas tradicionais além de canções próprias.

SERVIÇO: Domingo, 24, às 11 horas. Entrada franca. Casa da Dona Yayá – Centro de Preservação Cultural da USP – Rua Major Diogo, 353 – São Paulo.
Telefone (11) 3106-3562 

DANÇA

Pedrinho Luz – Direção da coreógrafa Susana Yamauchi. O balé é uma releitura da história vivida por Petrouchka, um boneco de marionetes que, animado por um mago, divide o amor da bailarina Rita com o mouro Átila, formando um triângulo amoroso. A trama, originalmente ambientada numa praça de São Petersburgo, na Rússia de 1830, foi ambientada nos arredores da cidade de São Paulo, no período de carnaval. A trilha sonora se inspira no tema Petrouchka de Igor Stravinsky e tem influência da música pop, do jazz, do tango e do samba. 

SERVIÇO: Sextas-feiras e sábados, às 20 horas. Domingos, 18 horas. Entrada franca. Retirada do ingresso na bilheteria uma hora antes do início do espetáculo. Até 24 de fevereiro.
Teatro Sérgio Cardoso – Sala Sérgio Cardoso – Rua Rui Barbosa, 153 – São Paulo. Telefone (11) 3288-0136 

 Show: Sobre o que a gente vê (Volume 1) – Criado pelos coreógrafos Thelma Bonavita e Cristian Duarte, que abrem mão de cenários e usam o corpo como figura central. 

SERVIÇO: Sexta-feira, 22, e sábado, 23, às 20 horas. Domingo, 24, às 18 horas. Ingressos: R$ 4,00 e meia-entrada. Teatro Itália, TD – Teatro de Dança – Avenida Ipiranga, 344 – Subsolo – Edifício Itália – São Paulo. Telefone(11) 2189-2557.

 

EXCPOSIÇÕES

Ars brevis – Retrospectiva que reúne 158 obras e projetos do pernambucano Paulo Bruscky, um dos pioneiros da arte conceitual no Brasil. São postais, xerox e carimbos reunidos ao longo dos quase 40 anos de carreira do artista. Até 28 de abril .

Tendências construtivas – São 25 obras pertencentes ao acervo do Museu de Arte Contemporânea da USP, que mostram um painel do movimento construtivo no mundo. Há peças de artistas como o alemão Josef Albers, o austríaco Lothar Charoux e os brasileiros Waldemar Cordeiro e Hércules Barsotti. Um dos destaques é Unidade Tripartida, escultura em aço inoxidável feita pelo suíço Max Bill em 1948, vista pela primeira vez no Brasil na estréia da Bienal de São Paulo, em 1951. Até 24 de fevereiro. 

SERVIÇO: Terça a sexta-feira, das 10 às 18 horas. Sábados, domingos e feriados, das 10 às 16 horas. Entrada franca. Museu de Arte Contemporânea – Rua da Reitoria, 160 – Cidade Universitária – São Paulo. Telefone (11) 3091-3039.

Õyvind Fahlstrõm – Criado na Suécia, o artista brasileiro exibe gravuras importantes em que mapas imaginários, com forte influência da pop arte, induzem à reflexão sobre problemas sociais.

SERVIÇO: Terça-feira a domingo, das 10 às 18 horas. Ingressos: R$ 4,00 e R$ 2,00 (meia-entrada). Grátis aos sábados. Até 24 de fevereiro. Estação Pinacoteca – Largo General Osório, 66 – São Paulo. Telefone (11) 3337-0185.

Para nunca esquecer – São 29 fotos coloridas de perfumes de grifes famosas.

SERVIÇO: Diariamente, das 4 horas à meia-noite. Grátis para usuários da CPTM e R$ 2,40 para o público externo. Até 29 de fevereiro. Estação Cidade Jardim da CPTM – Avenida das Nações Unidas s/no – São Paulo;  Estação Prefeito Celso Daniel – Rua Itambé, s/no – Santo André.

Para cobrir o silêncio  A mostra conta com 45 imagens em cores e preto-e-branco e registra detalhes de rituais e seguidores do candomblé. Até 24 de fevereiro.

Vão de almas – A série reúne 35 retratos coloridos realizados entre 2005 e 2007 por Renan Cepeda. Trata-se de um registro da identidade Kalunga, comunidade de descendentes de quilombolas assentada no norte de Goiás, em trecho especialmente inóspito da Chapada dos Veadeiros. Até 24 de fevereiro.

Caleidoscópio e a Câmara – A mostra traça um percurso poético e documental do pesquisador e fotógrafo Boris Kossoy. Reúne 100 obras, onde estão presentes ensaios metafísicos, registros da vida cotidiana e suas realidades e imagens inéditas, realizadas nas últimas duas décadas pelo artista em suas viagens ao redor do mundo. Até 23 de março.

Coleção Brasiliana – Versões e Narrativas – A mostra Versões e Narrativas possui 70 das 477 obras da Coleção Brasiliana, doadas à Pinacoteca. São pinturas, gravuras, desenhos, livros e mapas dos séculos 17 a 19. Entre muitos artistas estrangeiros estão os trabalhos de Rugendas, Debret e Albernaz. Exposição permanente.

SERVIÇO: Terça-feira a domingo, das 10 às 18 horas. Ingressos: R$ 4,00 e meia-entrada. Grátis aos sábados. Pinacoteca do Estado – Praça da Luz, 2 – São Paulo. Telefone (11) 3324-1000.

Museu de Esculturas Felícia Leirner – Localizado no entorno do Auditório Cláudio Santoro, ocupa uma área de 50 mil metros quadrados rodeada por alamedas, bosques e jardins. Reúne 84 esculturas instaladas a céu aberto da artista, que foi um dos nomes mais importantes do período inicial das bienais de arte do país.  

SERVIÇO: De terça-feira a domingo, das 10 às 18 horas. Ingresso: R$ 1,00. Gratuito para menores de 10 e maiores de 60 anos. Avenida Dr. Arrobas Martins, 1.880 – Campos do Jordão/SP. Telefone (12) 3662-2334 

PASSEIO

Museu Paulista – Mais conhecido como Museu do Ipiranga, dispõe de 125 mil peças, entre esculturas, quadros, jóias, moedas, medalhas, ferramentas, porcelanas, mobiliário, documentos, vestimentas e utensílios que pertenceram a figuras como bandeirantes, imperadores e barões paulistas do café. São peças e documentos do século 16 até meados do século 20 relacionados à história do Brasil. No museu do Parque da Independência estão localizados a Casa do Grito, o Monumento da Independência e a Capela Imperial, onde fica o jazigo do imperador D. Pedro I. Em frente ao prédio, há um vasto e belo jardim para os amantes da natureza.  
 
SERVIÇO: Quarta-feira a domingo, das 9 às 16h45. Ingressos: R$ 4,00 e R$ 2,00. Meia-entrada para menores de 6 e maiores de 60 anos e estudantes . Parque da Independência, s/no – São Paulo. Telefone (11) 6165-8026.

 

Armênio Guedes/Marilia Mestriner/Simone Ayala 
Da Agência Imprensa Oficial

(I.P.)