CDHU: Companhia sorteia casas em Ituverava

Estão inscritas 180 famílias para o sorteio desse sábado, dia 21

qui, 19/10/2006 - 12h14 | Do Portal do Governo

O gerente regional da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) em Ribeirão Preto, Milton Vieira de Souza Leite, sorteia neste sábado, 21 de outubro, mais 42 casas em Ituverava, no Distrito de São Benedito da Cachoeirinha, Região Administrativa de Franca. O evento acontecerá às 10h30, na Escola Municipal de Ensino Fundamental Trajano Francisco Borges, Rua Manoel Justino, n° 442.

Estão inscritas 180 famílias, das quais 94,44 % possuem rendimentos entre um e três salários mínimos. Elas concorrerão a 42 moradias com 43,18m² de área construída, dois dormitórios (podendo ser ampliados para quatro), sala, cozinha, banheiro e área de serviço.

Das 42 unidades, 7% serão destinadas a portadores de deficiência e 5% para idosos. As senhas para participar do sorteio foram entregues no ato da inscrição, em junho de 2006.

 As famílias sorteadas serão convocadas posteriormente para fazer a habilitação, ou seja, apresentar documentos que comprovem os requisitos exigidos pela CDHU para ingressar no programa. Depois de habilitada, a família assinará o termo de compromisso para participar da construção das moradias.

Os imóveis, orçados em R$ 619,6 mil, serão erguidos no Distrito de São Benedito da Cachoeirinha, na Rua Sebastião Felisbino, s/n°, e viabilizados pelo Programa Pró-Lar Autoconstrução (Habiteto). O Autoconstrução é realizado pela CDHU em parceria com as prefeituras, que doam o terreno, executam a infra-estrutura (como redes de água, esgoto, energia elétrica e pavimentação) e administram as obras, que têm a participação dos futuros moradores em regime de autoconstrução. A CDHU repassa os recursos para compra das cestas de material de construção e supervisiona todas as etapas dos trabalhos, além de fornecer o projeto e assistência técnica à prefeitura.

O Habiteto é destinado, prioritariamente, a famílias com ganhos mensais entre um e três salários mínimos, que residam ou trabalhem no município há pelo menos três anos, que não sejam proprietárias de imóvel e não disponham de financiamento habitacional. Os beneficiários têm um prazo de 300 meses para quitar o imóvel e as prestações são calculadas de acordo com a renda. Assim, famílias que ganham entre um e três salários mínimos pagam uma prestação equivalente a 15% da renda. Quem ganha um salário mínimo por mês (R$ 350,00) arca com prestações de R$ 52,50.

Da CDHU