CDHU: Companhia implanta medidas de combate à inadimplência para aumentar arrecadação

Redução de juros de mora, parcelamento de débitos atrasados e acesso a transações pela internet são algumas das medidas adotadas

qua, 23/08/2006 - 20h14 | Do Portal do Governo

Adequar as normas financeiras às condições de pagamentos dos mutuários sem, no entanto, abrir mão da receita. Essa é a principal preocupação da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) ao implantar uma série de medidas para recuperar o crédito habitacional e estimular a negociação de débitos dos mutuários inadimplentes.

As novas diretrizes fazem parte do Programa Sempre em Dia, instituído há pouco mais de um ano, e foram adotadas com base em diagnóstico realizado em cima de uma amostragem de inadimplentes.  A CDHU tem uma carteira de mutuários com cerca de 300 mil contratos ativos e constatou que entre os principais motivos que levam à inadimplência estão a perda de renda, o desemprego, a desestruturação familiar, além de outros problemas de ordem social.

A partir desse diagnóstico, adotou-se um pacote de medidas que visam melhorar as condições para a regularização de débitos e facilitar o pagamento. Uma das providências tomadas foi reduzir de 12,5 % ao ano para 3% os juros cobrados por atraso em todos os contratos ativos. Além disso, o inadimplente pode fechar um acordo e parcelar o seu débito com o pagamento de apenas uma parcela do montante em atraso. Para incentivar o recebimento à vista, quem quitar a dívida tem isenção total dos juros de mora e da correção monetária. Aos mutuários que já foram acionados judicialmente, a Companhia estendeu de seis para até 100 meses o parcelamento da dívida a fim de evitar a retomada dos imóveis.

A CDHU oferece também diversos serviços pela Internet. Acessando o site www.cdhu.sp.gov.br, além de obter informações sobre o financiamento, o interessado pode emitir boletos de prestações, calcular o parcelamento de débito, realizar acordos e emitir parcela de amortização de débitos.

Paralelamente, a CDHU está credenciando, por meio de edital público, 216 escritórios de advocacia para entrar com ações judiciais contra as pessoas que regularizarem os débitos.

Os resultados das mediadas adotadas já começam a aparecer. A arrecadação mensal da Companhia que, em média, era de R$ 15 milhões, subiu para R$ 19 milhões. O nível de inadimplência, que antes ficava em torno de 30%, hoje está em 27% e a intenção é diminuir ainda mais esse percentual. A próxima investida do programa será realizar plantões de equipes técnicas nos conjuntos habitacionais para chegar mais perto dos mutuários e agilizar as negociações dos débitos.

Da Assessoria de Imprensa da CDHU