Alckmin inaugura nova ponte sobre o rio Tietê em Jaú

Governador também inspecionou obras de duplicação da rodovia que liga Jaú a Pederneiras

sáb, 28/07/2001 - 15h47 | Do Portal do Governo


Governador também inspecionou obras de duplicação da rodovia Comandante que liga Jaú a Pederneiras

O governador Geraldo Alckmin inaugurou neste sábado, dia 28, a nova ponte sobre o Rio Tietê, no município de Jaú. A obra, executada pela concessionária Centrovias, custou cerca de R$ 16 milhões e faz parte do Programa de Concessões Rodoviárias. Na região, este programa prevê a duplicação de 144 quilômetros da Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-225), entre os municípios de Bauru e Itirapina. Quando concluída, esta obra vai se tornar uma importante ligação entre a rodovia Marechal Rondon (SP-300) e a Washington Luiz (SP-310).

A ponte nova tem 526 metros de comprimento com 10 vãos de 45 metros e um central com 76 metros. O vão maior oferece mais segurança às embarcações que utilizam aquele trecho do rio. Antes, constantes acidentes ocorriam por causa da pequena largura de 45 metros da antiga ponte, construída há cerca de 40 anos. A nova ponte passa a beneficiar diretamente 6,5 mil usuários da estrada e a população de aproximadamente 12 municípios da região.
‘Além de facilitar o fluxo viário, essa ponte já se tornou um grande avanço para o sistema hidroviário neste trecho’, destacou Alckmin. De acordo com o superintende da Centrovias, Luiz Augusto Distrutti, a ponte entregue é uma das maiores do Estado. ‘Ela representa a grandeza do trabalho do governador Mário Covas, que além de cumprir os compromissos firmados, soube se perpetuar na história do desenvolvimento do Estado’.

O prefeito de Jaú, João Sanzovo Neto (PDT) também destacou os benefícios da nova ponte e lembrou que há 10 dias esteve no Palácio dos Bandeirantes para assinar um convênio com a Secretaria de Agricultura, que vai possibilitar a instalação de pontes metálicas nas estradas voltadas ao escoamento agrícola. ‘Esta ponte nos traz mais progresso e indústrias, portanto, mais empregos para a região’. Ele lembrou a capacidade administrativa de Covas e agradeceu Alckmin por dar continuidade aos trabalhos em curso.

Remédios e vistoria

Alckmin aproveitou a entrega da ponte para repassar 2.214 quilos de medicamentos do Programa Dose Certa às unidades básicas de saúde de Jaú. São 41 tipos de remédios fabricados pela Fundação para o Remédio Popular (Furp) e distribuídos gratuitamente pelo Governo do Estado aos 645 municípios paulistas.

Ele também vistoriou a duplicação da rodovia SP-255 no trecho entre Jaú e Pederneiras. A obra é a principal do lote 8 (com 218 km de estradas) que vem sendo administrada pela Centrovias desde 1998. Até outubro desse ano será entregue a duplicação completa da ligação Jaú-Bauru. O trecho tem 52 km com duas pistas (10,7 metros) separadas por canteiro central de 5m de largura. Também estarão concluídas as obras complementares de acessos, retornos e viadutos. Esse empreendimento está gerando 1,8 mil novos empregos diretos e indiretos.

Em três anos, junho de 98 a junho de 2001, a concessionária investiu R$ 163 milhões na ampliação da malha. Outros R$ 61 milhões foram gastos na operação da rodovia. A arrecadação de pedágio, nesse mesmo período, totalizou R$ 151 milhões. A diferença entre entrada e saída de capitais foi coberta por aporte financeiro dos acionistas e empréstimos de curto e longo prazo, entre eles R$ 91 milhões do BNDES.

Alckmin estima que até setembro próximo, a obra obtenha a licença ambiental para iniciar duplicação do trecho de Jaú até Itirapina. ‘Aí teremos uma das principais ligações transversais do Estado’, disse referindo-se ao acesso da Marechal Rondon a Washington Luiz. Para ele, a duplicação vai trazer mais segurança aos usuários, já que a estrada terá passarelas e trevos. ‘Essa melhoria também será grande fator de desenvolvimento para a região, que além do agronegócio – principal gerador de emprego – poderá atrair indústria de tecnologia e de transformação.’

Na opinião do secretário dos Transportes, Michael Paul Zeitlein, a região tem vocação para se transformar gradativamente em um centro de logístico, industrial e comercial do Estado, porque tem modal ferroviário, hidrovia, rodovia tronco em processo de duplicação. ‘E estamos construindo os aeroportos novos de Bauru e Arealva, ou seja, temos aqui a confluência de quatro modos de transporte.’