Alfabetização de crianças em SP será avaliada em tempo real

São Paulo será o primeiro estado a implantar teste em larga escala para meio milhão de alunos

qua, 24/04/2024 - 12h03 | Do Portal do Governo
O teste de fluência pode ser aplicado entre alunos do 2º e 5º ano, que concentram meio milhão de matriculados

Em uma nova etapa do Alfabetiza Juntos SP, programa da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) para a alfabetização de crianças dos anos iniciais do Ensino Fundamental, a pasta amplia, a partir deste mês de abril, o teste de fluência leitora também para o 3º, 4º e 5º anos. Até o início deste ano, o teste era realizado apenas para os estudantes do 2º ano.

Outra novidade é a implantação de uma ferramenta que permitirá aos professores acesso simultâneo ao resultado e um mapa do desenvolvimento de cada aluno e de sua sala de aula. O “Fluencímetro” é uma das atividades da Elefante Letrado, ferramenta de leitura disponível para os anos iniciais do Ensino Fundamental da rede paulista, que integra as ações da Educação de São Paulo e está disponível em 17 estados e nove países.

A ferramenta de leitura pode ser acessada por todos os professores dos anos iniciais do Ensino Fundamental e pelas 560 mil crianças de 6 a 10 anos de idade matriculadas do 1º ao 5º ano em 1.389 unidades de anos iniciais da Seduc-SP. O teste de fluência, por sua vez, pode ser aplicado entre o 2º e 5º ano, que concentram meio milhão de matriculados.

“Com essa ação, a Educação de São Paulo está expandindo o olhar para o processo de alfabetização em todo o primeiro ciclo do Ensino Fundamental, mais um passo do Alfabetiza Juntos SP. Nós temos uma meta de alfabetizar 90% dos estudantes do 2º ano até 2026. Na avaliação de fluência leitora já em curso, os resultados apontam que estamos no caminho certo e já temos 64% de leitores iniciantes e fluentes. É preciso garantir a equidade e esse patamar também para estudantes matriculados nas outras turmas dos anos iniciais”, afirma o secretário da Educação, Renato Feder.

Como o teste é feito

No teste, os estudantes devem ler um texto e o áudio é disponibilizado em uma área de trabalho exclusiva do professor regente de sala. A ferramenta oferece ao docente a comparação entre o texto original e o teste de cada aluno e os classifica, a partir da fluência e tempo de leitura, entre os níveis abaixo do básico, básico, adequado e avançado.

A novidade é que o resultado do teste aparece automaticamente na área de trabalho do professor, que consegue comparar os resultados de toda a turma e, ainda, a evolução de cada criança ao longo das edições do ano do teste.

Em 2024, a Seduc-SP organizará três edições do teste para os alunos dos anos iniciais. A primeira delas acontece entre os dias 22 de abril e 9 de maio.

No cronograma sugerido pela Secretaria da Educação, as escolas e professores podem aplicar os testes nas seguintes datas:

  • 22 a 26 de abril, para estudantes do 4º e 5º anos;
  • 29 a 6 de maio, para estudantes do 2º e 3º anos;
  • Entre 7 e 9 de maio, as unidades podem organizar a repescagem, para estudantes ausentes nas datas de aplicação.

Mais leitura = alfabetização

Para desenvolver a competência leitora, as crianças têm acesso a cerca de 500 títulos literários no sistema operacional, que podem ser acessados por meio de tablets e computadores das escolas ou até mesmo do celular dos pais e responsáveis.

O acervo do programa é um apoio e complemento ao processo de leitura que acontece dentro de todas as salas de aula, e pode ser apresentado de duas formas: para leitura e audição. Dentro da ferramenta, são disponibilizadas obras de diferentes gêneros textuais, como contos, poesias, crônicas e fábulas, classificados e mostrados na estante virtual de acordo com os níveis de proficiência do leitor — abaixo do básico, básico, adequado e avançado. Nas turmas de anos iniciais das escolas estaduais, os livros ficam em estantes dentro das salas de aula, para que o acesso aos materiais seja constante.

Até a primeira quinzena de abril, 124,5 mil estudantes já estavam utilizando o ambiente.

Nas unidades de ensino onde crianças já começaram a acessar o sistema de livros on-line, professores relatam encantamento e empolgação dos pequenos.

Na Escola Estadual Otoniel Assis de Holanda, localizada na zona sul de SP, Manuella Peixinho, de 6 anos de idade, matriculada no 1º ano, pode ser reconhecida como “influencer” de leitura. “Dentro da ferramenta tem livros muito interessantes. Tem livros de aventura, de conto de fadas, posso ler as palavras e ver as imagens. É muito legal mergulhar nas histórias, e um jeito divertido de aprender”, diz.

Siga o canal “Governo de São Paulo” no WhatsApp:
https://bit.ly/govspnozap