SP ultrapassa 3 mil mortes por coronavírus

Mais de 1,1 mil óbitos ocorreram em cidades do interior, litoral e Grande SP; casos de COVID-19 já foram registrados em 57% dos municípios

qua, 06/05/2020 - 17h00 | Do Portal do Governo

O número de mortes pelo novo coronavírus no Estado de São Paulo chegou a 3.045 nesta quarta-feira (6). Foram confirmadas mais 194 novas vítimas fatais da COVID-19 nas últimas 24 horas. A relação de casos e óbitos confirmados por cidade pode ser consultada em www.saopaulo.sp.gov.br/coronavirus.

Veja também
Guia de prevenção sobre o novo coronavírus
Perguntas e respostas: tire suas dúvidas sobre a doença
As medidas adotadas pelo Governo de SP para o combate ao coronavírus

Entre os mais de 3 mil óbitos, 1.135 ocorreram em cidades do interior, litoral e Grande São Paulo. Já faleceram uma ou mais pessoas residentes de 160 cidades do Estado. Essas regiões também concentram 14.666 casos confirmados, quase 38% do total de 37.853 infectados em São Paulo, até o momento. A doença já é verificada em 57% do território estadual, em 371 municípios.

“Nós ultrapassamos 3 mil óbitos e estamos com 3.045, 7% de aumento no número de óbitos. E infelizmente esse é o motivo do decreto que será publicado amanhã, de luto [oficial no Estado]”, afirmou o Secretário da Saúde, José Henrique Germann, durante coletiva de imprensa realizada no Palácio dos Bandeirantes nesta quarta-feira (6).

Aproximadamente 200 internações ocorreram nas últimas 24 horas, totalizando 9,5 mil pacientes internados em hospitais do Estado, sendo 3.778 em UTI e 5.751 em enfermaria.

A taxa de ocupação dos leitos de UTI reservados para atendimento a COVID-19 é de 67,2% no Estado de São Paulo e 86,6% na Grande São Paulo.

“[Faço] o reiterado apelo, que é a única arma que nós temos, é o distancia mento social. Nós não temos medicamentos, nós não temos vacinas, e não teremos a curto prazo, então é absolutamente fundamental que a população continue sacrificando. Eu sei, e todos nós sabemos que é um grande sacrifício, nesse momento necessário, e também a única alternativa, disse o infectologista David Uip, coordenador do Centro de Contingência.

Perfil da mortalidade

Entre as vítimas fatais, estão 1.790 homens e 1.255 mulheres. Os óbitos continuam concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 73,5% das mortes.

Observando faixas etárias subdividas a cada dez anos, nota-se que a mortalidade é maior entre 70 e 79 anos (760 do total), seguida por 60-69 anos (676) e 80-89 (592). Também faleceram 210 pessoas com mais de 90 anos. Fora desse grupo de idosos, há também alta mortalidade entre pessoas de 50 a 59 anos (415 do total), seguida pelas faixas de 40 a 49 (232), 30 a 39 (121), 20 a 29 (29) e 10 a 19 (8), e dois com menos de dez anos.

Os principais fatores de risco associados à mortalidade são cardiopatia (59,5% dos óbitos), diabetes mellitus (43,2%), doença neurológica (11,5%), doença renal (11,1%) e pneumopatia (10,5%). Outros fatores identificados são imunodepressão, obesidade, asma e doenças hematológica e hepática.

Esses fatores de risco foram identificados em risco: 2.467 pessoas que faleceram por COVID-19 (81%) do total.