Obras de arte do Metrô relembram a Declaração Universal dos Direitos Humanos

Instaladas nas estações Luz e Marechal Deodoro, as composições reforçam a importância do documento que completa 72 anos nesta quinta (10)

qui, 10/12/2020 - 10h37 | Do Portal do Governo

Liberdade, saúde, educação, lazer e trabalho são algumas das garantias estabelecidas pela Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH), promulgada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948. Em celebração aos 72 anos da assinatura desse documento tão importante, o Metrô de São Paulo relembra suas obras de arte do acervo permanente, que expressam os direitos humanos e podem ser visitadas nas estações Marechal Deodoro e Luz.

Produzidos pelo artista plástico brasileiro Gontran Guanaes Netto, sete painéis colorem a estação Marechal Deodoro, da Linha 3-Vermelha, desde 1990. As pinturas podem ser apreciadas em diversos pontos da estação: no jardim externo, em frente ao acesso sul (Aspectos da População Brasileira I e II) e ao mezanino (Aspectos da População Brasileira III); no acesso à plataforma (Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão); no acesso sudoeste do mezanino (Traços da População Brasileira); e na plataforma (Marianne I e II). 

Gontran era descendente de trabalhadores rurais e dedicou sua obra a questões políticas e sociais. Neste conjunto proposto por ele ao Metrô pelo bicentenário da Revolução Francesa, concentrou-se nos brasileiros, na liberdade e nos direitos humanos como temáticas. No quarto painel, Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, o artista eternizou o rosto de pessoas que posaram para ele no ateliê da Praça Marechal Deodoro. 

Já na estação Luz, da Linha 1-Azul, é impossível caminhar pelo mezanino sem notar as pinturas nos azulejos da obra Inscrever os Direitos Humanos na Estação Luz do Metrô, da artista visual e arquiteta belga Françoise Schein. Além de uma equipe com outros artistas, o trabalho contou com a participação de crianças e jovens de escolas públicas, que produziram um desenho para cada artigo da DUDH. O projeto incentivou os alunos a projetarem suas vidas no contexto de cada tópico para assim educá-los sobre os direitos fundamentais. 

Além dos direitos humanos, o painel também retrata diversas passagens da história da cidade de São Paulo. As obras de Françoise Schein divulgam os direitos humanos no Metrô de São Paulo, mas também em estações dos metrôs de Paris, Bruxelas – cidade natal da artista –, Lisboa, Estocolmo, Haifa, Berlim e do Rio de Janeiro. 

 

 

SERVIÇO 

Inscrever os Direitos Humanos na Estação Luz do Metrô, de Françoise Schein 

Local: mezanino da Estação Luz, Linha 1-Azul 

 

Aspectos da População Brasileira I e II, de Gontran Guanaes Netto 

Local: jardim externo, em frente ao acesso sul da Estação Marechal Deodoro, Linha 3-Vermelha 

 

Aspectos da População Brasileira III, de Gontran Guanaes Netto 

Local: jardim externo, em frente ao mezanino da Estação Marechal Deodoro, Linha 3-Vermelha 

 

Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, de Gontran Guanaes Netto 

Local: acesso à plataforma da Estação Marechal Deodoro, Linha 3-Vermelha 

 

Traços da População Brasileira, de Gontran Guanaes Netto 

Local: acesso sudoeste do mezanino da Estação Marechal Deodoro, Linha 3-Vermelha 

 

Marianne I e II, de Gontran Guanaes Netto 

Local: plataforma da Estação Marechal Deodoro, Linha 3-Vermelha