USP dará R$ 5 milhões aos melhores projetos

O Estado de S.Paulo A USP aprovou o Programa de Apoio à Inovação no Ensino Prático de Graduação, que prevê a distribuição de R$ 5 milhões para a implementação de […]

qua, 02/03/2011 - 17h30 | Do Portal do Governo

O Estado de S.Paulo

A USP aprovou o Programa de Apoio à Inovação no Ensino Prático de Graduação, que prevê a distribuição de R$ 5 milhões para a implementação de laboratórios em faculdades de todos os câmpus da universidade.

Os editais serão lançados até o fim de abril. Passado um prazo de até 40 dias, comissões formadas por docentes em diversas áreas do conhecimento avaliarão os melhores projetos e definirão o destino da verba.

A iniciativa, votada no último Conselho de Graduação, permite a professores e alunos de toda a USP inscrever suas unidades. No entanto, segundo a pró-reitora de Graduação, Telma Zorn, a verba não será distribuída de forma igual entre as faculdades. “É uma competição para estimular o pensamento, o trabalho em conjunto e a criatividade”, afirma Telma. “Não atenderá a todos, mas sim às melhores propostas.”

O orçamento total da Pró-Reitoria de Graduação passou de R$ 9,7 milhões em 2010 para 22,7 milhões em 2011, o que facilitará tanto a manutenção de projetos já existentes como a implementação de novos.

O principal deles, o Pró-Ed, visa a recuperação de espaços físicos, incluindo reforma de aproximadamente sete salas em cada faculdade. “Não será apenas uma ‘maquiagem’ nas paredes, trocaremos fiações e encanamentos velhos”, conta Telma.

Cursos noturnos. A melhoria da infraestrutura para cursos noturnos também está entre os desafios da gestão. Entre as propostas anunciadas estão melhorar a iluminação da Cidade Universitária e ampliar o horário de funcionamento de bibliotecas e lanchonetes, além de elevar a oferta de ônibus circulares.

Em um segundo momento, o Pró-Ed pretende englobar a parte acadêmica e estimular discussões sobre a grade e métodos de ensino. Entretanto, a pró-reitora prefere a cautela. “Vamos primeiro melhorar a parte física e em seguida discutir o conteúdo”, diz Telma.

Já o Pró-Int foca na internacionalização, criando e aperfeiçoando parcerias com instituições de ensino estrangeiras e prevendo 30% de sua verba para financiar doutorados de jovens docentes da universidade no exterior.

Conselho. Em reunião realizada ontem, o Conselho Universitário, órgão máximo da instituição, votou pela manutenção dos membros da comissões de Legislação, Orçamento e Patrimônio e de Assuntos Acadêmicos. O Sindicato dos Trabalhadores da USP propôs um novo nome, que não foi aprovado pela maioria.