Serra anuncia a contratação de 60 mil novos professores em SP

O Globo

qua, 06/05/2009 - 9h40 | Do Portal do Governo

SÃO PAULO – Ao anunciar nesta terça-feira a criação da Escola de Formação de Professores do estado, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), disse que vai abrir concurso para contratar 10 mil professores e que enviou à Assembleia Legislativa projeto-de-lei para a criação de outras 50 mil vagas na rede estadual de ensino. O acréscimo de 60 mil novos professores, que aumentará em 28% o total de docentes do estado, não representará mais custos, já que eles substituirão parte dos 80 mil professores temporários.

– O professor efetivo não aumenta o custo, ele substitui o temporário. Ele já está sendo pago. Aumentaria o custo se nós tivéssemos mais alunos, mas tendo o mesmo número de alunos e o mesmo número de horas, você simplesmente está estabilizando mais o quadro ao abrir concurso. Não vamos admitir 50 mil pessoas no ano que vem. Isso será uma absorção ao longo do tempo, mas teremos as pessoas já concursadas para ingressarem na carreira – explica o secretário de Educação, Paulo Renato de Souza.

O secretário não soube precisar o custo da criação da Escola de Formação, a principal medida do “Programa Qualidade na Escola”, lançado nesta terça-feira pelo governo paulista. Segundo ele, o maior gasto será com o pagamento da bolsa aos professores-estudantes, de 75% do salário inicial da categoria. Todos os profissionais de educação aprovados em concursos terão de passar pela Escola antes de assumirem a função.

– Temos o prédio, temos já pronta toda a chamada Rede do Saber, que consiste em um sistema de teleconferências que já tem cerca de 100 postos. Os custos aqui são perfeitamente absorvíveis pelo próprio orçamento da Secretaria – afirma Paulo Renato.

Para poder contratar 50 mil novos professores em ano pré-eleitoral, o secretário espera que o projeto-de-lei seja aprovado pelo Legislativo a tempo de fazer o concurso em setembro deste ano e as contratações até o ano que vem, antes do período que a legislação eleitoral proíbe novas admissões. Antes de serem contratados, os novos professores terão de passar por um curso de capacitação na Escola de Formação de quatro meses, com 360 horas.

A escola dos professores funcionará com base no ensino a distância e presencial e terá recursos materiais e humanos da Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE).

– Tenho certeza que essa medida, que é um verdadeiro Ovo de Colombo que o secretário Paulo Renato nos apresentou, vai ter um impacto a médio e longo prazo muito importante no aprendizado aqui no estado de São Paulo – diz o governador Serra.

Perguntado por que o PSDB não tinha apresentado um projeto como esse antes, já que administra São Paulo há 14 anos, Paulo Renato disse que só faltou a ideia.

– Faltou ter a ideia. Nós estamos aqui há 14 anos, o PSDB está. O PSDB criou o sistema de avaliação. O PSDB, no governo, criou um diagnóstico que nos permite hoje realmente termos segurança daquilo que estamos fazendo. E o que nós identificamos e diagnosticamos é que o problema central estava na formação do professor.

E essa foi a grande dificuldade ao longo desses anos: como mexer na formação do professor, o que não depende da Secretaria. Curso de treinamento se multiplicaram etc., (mas só) agora encontramos um caminho – diz o secretário de Educação.