Mais 1. 349 policiais na luta contra o crime

Com a transferência do Detran para a Secretaria de Gestão Pública, a Segurança Pública de São Paulo ganha maior poder de fogo

qui, 17/03/2011 - 19h30 | Do Portal do Governo

Quinta-feira, 17/03/11 – 07:22

Diário de S.Paulo

Com a transferência do Detran para a Secretaria de Gestão Pública, que será anunciada nesta quinta-feira pelo governador Geraldo Alckmin, a Segurança Pública de São Paulo ganha maior poder de fogo. A mudança obrigará 1.349 policiais em todo o estado a trocarem funções burocráticas do departamento de trânsito pelo combate ao crime.

Um dos principais motivos da transferência é acabar com as famosas “caixinhas” do Detran e das Ciretrans, que já levaram vários policiais à prisão. A mais recente denúncia envolvendo o órgão de trânsito ocorreu em junho de 2010, quando 162 delegados – 19 da capital – foram denunciados pela corregedoria por envolvimento na máfia da lacração. Isso obrigou a direção do órgão a romper contrato com a empresa Cordeiro Lopes, que fornecia as placas de trânsito.

Rapidez

A expectativa da Delegacia Geral de Polícial é que, além de dificultar a corrupção, a mudança traga rapidez às investigações, facilite a distribuição do trabalho, diminuindo a necessidade de policiais acumularem funções, e contribua na qualidade dos inquéritos que decidirão o futuro de criminosos.

Segundo a Delegacia Geral, a mudança não será imediata porque ela exige um período de transição para adaptação. Além disso, nomes de delegados que constam de alguns documentos de trânsito, como a carteira nacional de habilitação, terão de ser substituídos por de funcionários de Gestão Pública.

Os policiais que deixarão o Detran e as Ciretrans da Grande São Paulo e do interior serão transferidos para delegacias onde há maior necessidade de funcionários. Além disso, eles ficarão liberados para atuar exclusivamente no combate à criminalidade.

Segundo a Delegacia Geral, haverá estudo do perfil e da aptidão de cada um para definir o local onde ele terá maior produtividade e afinidade. Todos serão aproveitados nas cidades onde já exerciam funções.