Linha 2 do Metrô: quase tudo pronto para escavar

Jornal da Tarde - Sexta-feira, 16 de abril de 2004

sex, 16/04/2004 - 9h23 | Do Portal do Governo

Em uma semana, a infra-estrutura para perfurar o túnel da chamada via 1 vai estar concluída. Nessa fase, a perfuratriz é a principal ferramenta das obras. Os trabalhos do Metrô na região começaram em 31 de março

As obras de expansão da Linha 2 (Verde) do metrô, que tiveram início no dia 31 de março, continuam em ritmo acelerado. Dentro de uma semana, toda a infra-estrutura técnica e de segurança para o início da escavação do túnel da via 1 – que irá ligar a estação Ana Rosa à futura estação da Chácara Klabin – estará finalizada.

Uma máquina conhecida como ‘perfuratriz’ é a responsável pela agilidade do processo. Essa máquina, de cerca de 25 toneladas, iniciou a perfuração do solo e a implementação de 21 colunas horizontais de cimento – que servirão para escorar o teto da boca do túnel. Com todas as colunas instaladas, o primeiro túnel, de 928 metros, poderá ser aberto.

‘As colunas horizontais de cimento oferecem a segurança adequada para o começo do trabalho. Com elas, evitamos acidentes graves, como desabamentos de terra’, disse o diretor de engenharia do metrô, Sérgio Salvadori.

O engenheiro também explicou o funcionamento da máquina: ‘A perfuratriz tem várias funções. Ela perfura o solo e lança um jato de água dentro do buraco.

Depois, mistura a água aos restos de solo, formando uma espécie de ‘caldo de cimento’. Assim, temos a criação das colunas horizontais’, contou. Ele ressaltou que o tipo de solo, encontrado no local, é argiloso. Por isso, a importância de um escoramento reforçado por colunas de cimento.

O marco zero da expansão da linha 2, também conhecida como Linha Paulista, é o poço Carlos Petit, localizado no canteiro central da Rua Vergueiro, na altura do nº 2.650. Por conta das obras, a pista esquerda da Rua Vergueiro está interditada por 200 metros no sentido Centro-Bairro. As outras 4 faixas estão livres.

Até o final de 2006, o governo do Estado espera construir 2,9 quilômetros de vias a partir da estação Ana Rosa. No trecho haverá duas estações: Chácara Klabin e Imigrantes.

Só nesta primeira etapa serão investidos R$ 462 milhões. A segunda fase – ainda sem prazo de conclusão definido – prevê a construção de mais duas estações: Ipiranga e Sacomã.

As obras de ampliação da Linha 4 (Amarela), entre a Vila Sônia e Luz, devem começar ainda neste semestre.