Eclusa vai aumentar navegabilidade no Tietê

Valor

qua, 11/11/2009 - 9h06 | Do Portal do Governo

O Rio Tietê deve ganhar mais 14 quilômetros (km) navegáveis até o fim de 2011 na região metropolitana de São Paulo. Nesta semana, o governo paulista contratou a empresa que fará em oito meses o projeto executivo da construção de uma eclusa na barragem da Penha, zona leste da capital. A estimativa é de que será necessário até um ano e meio executar as obras. 

A hidrovia Tietê possui hoje 41 km entre a cidade de Santana do Parnaíba (SP) e a barragem da Penha. A extensão levará a área navegável até o bairro de São Miguel Paulista, ainda na capital. O projeto foi contratado por R$ 1,49 milhão e será executado pela empresa Engecorps. A obra foi orçada inicialmente pelo governo em cerca de R$ 50 milhões, mas o projeto executivo é que indicará seu custo exato. A obra é importante também para o controle de enchentes. 

Esse é o primeiro passo para a implementação de um anel hidroviário na região metropolitana, projeto que deve estender a hidrovia a 186 km, ligando o rio Pinheiros, a represa Billings e o reservatório Taiaçupeba, com canais de conexão com o rodoanel e ferrovias. 

Hoje não há navegação comercial nos 41 km de hidrovia na região metropolitana de São Paulo, mas segundo Frederico Bussinger, diretor do Departamento Hidroviário da Secretaria de Transporte do Estado, existem condições que devem atrair o interesse das empresas para o uso deste transporte. O governo fará a implementação da estrutura básica da hidrovia, com a eclusa, sinalização e áreas de embarque e desembarque, mas depende da iniciativa privada o investimento em terminais. Levantamentos realizados pelo Estado indicam que a hidrovia tem potencial para transportar materiais de construção, produtos hortifrutigranjeiros e até lodo de esgoto gerado pelas estações de tratamento da Sabesp próximas ao rio.