Cuide do corpo com aulas gratuitas da PM

Criado pela Polícia Militar e voltado para a terceira idade, projeto que oferece exercícios físicos

ter, 27/03/2012 - 16h41 | Do Portal do Governo

Diário de S. Paulo

Se você está enjoado dos exercícios oferecidos por academias de musculação, mas pretende cuidar da saúde, uma alternativa é o Projeto Bem-Estar, que promove atividades físicas ao ar livre. Criado pela Base Comunitária da Polícia Militar do Pari, na Zona Leste, com o intuito de aproximar policiais e moradores da região, o programa é voltado à terceira idade, mas recebe pessoas das mais variadas faixas etárias. 

Três vezes por semana, jovens e idosos se reúnem na Praça General Humberto Souza Mello, no Belenzinho, para fazer alongamentos e praticar exercícios aeróbicos e de fortalecimento muscular.

“O programa foi uma iniciativa da própria equipe da base. Observamos que os moradores da região queriam se exercitar, pois costumavam caminhar pelas manhãs. Então, apresentamos a proposta para o capitão Guilherme França, comandante da nossa companhia, e ele autorizou”, conta o policial Angelândio Soares Barreto, responsável por ministrar as atividades físicas. “Nós começamos do zero. Há seis meses, eu só ensinava atividades com o corpo. Depois, improvisamos cabos de vassouras como bastões para alongamentos. Mais tarde, o nosso major ajudou com 30 colchonetes e fizemos uma parceria com uma academia da região, que forneceu mais colchonetes e vendeu alguns pesos pelo valor de custo. Agora, podemos trabalhar costas, pernas e abdômen.”

Barreto, como é conhecido por seus alunos, tem formação em educação física. Ele conta que muitos idosos desistiram do programa por causa das dores musculares decorrentes do sedentarismo. No entanto, ressalta com orgulho os progressos adquiridos por aqueles que permaneceram. “As pessoas que ficaram comentam que estão mais dispostas e preferem subir escadas ao invés de pegar um elevador.”

É o caso da dona de casa Maria da Salete Silva Farias, de 62 anos. Em 1999, ela passou por uma cirurgia para tratar um aneurisma cerebral. Depois do procedimento, começou a fazer caminhadas e tai chi chuan por recomendação de seu médico. Mas só foi melhorar realmente quando começou a participar das atividades orientadas pelo policial Barreto. “Os exercícios me garantiram mais disposição. Agora, caminho normalmente, sem a necessidade de um acompanhante”, explica Maria.

A estudante Stela Danna, de 23 anos, comenta que, inicialmente, não conseguia acompanhar o ritmo da turma da terceira  idade. “Não é porque há idosos que as atividades são mais leves. Em geral, o número de exercícios e as repetições são de nível médio. Mas o professor orienta as pessoas que têm dificuldades e ensina exercícios diferenciados, quando estes são necessários.”

Para garantir que os idosos estão com a saúde em dia, a Base Comunitária da PM conta com o apoio da Unidade Básica de Saúde do Belenzinho. Ao entrar no grupo, os participantes passam por uma avaliação física gratuita e recebem acompanhamento médico semanalmente no próprio parque.