Caminhada reduz hipertensão em idosos, diz estudo

O Estado de S. Paulo

ter, 20/10/2009 - 8h28 | Do Portal do Governo

Pressão arterial de pessoas entre 60 e 75 anos caiu na primeira e nas 24 horas seguintes ao exercício 

Um estudo de mestrado feito na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da Universidade de São Paulo (USP), comprovou que a caminhada reduz a pressão arterial em idosos na primeira hora e nas 24 horas subsequentes. 

A pesquisa foi feita entre 2007 e 2009, com 23 idosos, entre 60 e 75 anos, faixa etária em que a hipertensão é mais agressiva. O diferencial da pesquisa, segundo a fisioterapeuta Leandra Lima, é que foi analisado o impacto do exercício aeróbico em pista (caminhada), enquanto outros trabalhos relatam o uso de esteira e bicicleta ergométrica. Leandra prepara a continuidade do estudo, para tratamento contínuo, com várias sessões de atividades físicas, a partir de novembro. 

Dos 23 idosos pesquisados, 12 tinham pressão normal e 11 eram hipertensos. Cada um fez uma sessão de 40 minutos de caminhada em pista (com 5 minutos de aquecimento e outros 5 de desaquecimento), com medições de pressão arterial antes e depois da atividade. Uma semana após a caminhada, Leandra monitorou as pressões desses idosos durante 40 minutos em repouso. 

Segundo a fisioterapeuta, a pressão arterial sistólica (quando o coração se contrai e bombeia o sangue no corpo) caiu, em média, 14 milímetros de mercúrio (mmHg) na primeira hora após a caminhada e 3 mmHg em 24 horas. E a pressão diastólica (quando o coração relaxa) diminuiu, em média, 4 mmHg na primeira hora e 2 mmHg em 24 horas. Um exemplo médio: se a pessoa tinha pressão alta de 140×90 mmHg, reduziu para 126×86 mmHg na primeira hora e 137×88 mmHg em 24 horas. 

Os resultados indicaram que a redução é mais expressiva nas pessoas com pressão arterial elevada. 

“Uma única sessão de caminhada é eficaz na redução da pressão arterial”, destaca Leandra, acrescentando que essa atividade física pode levar o hipertenso leve a diminuir de forma gradativa ou até a não usar medicamentos. “Os efeitos desse estudo sobre a população geram um resultado imediato e positivo no paciente com pressão alta e promove uma enorme conscientização dos benefícios do exercício nas pessoas que não apresentam níveis elevados de pressão”, diz. 

Nereida Lima, professora da faculdade e orientadora de Leandra, enfatiza que o estudo comprova que a caminhada é um tipo de exercício viável para qualquer pessoa, sem a necessidade de frequentar uma academia com esteiras e bicicletas ergométricas. 

Saiba mais 

É considerado hipertenso quem tem pressão arterial igual ou superior a 140×90 mmHg 

Para o controle da pressão,a Sociedade Brasileira de Hipertensão recomenda 30 minutos diários de atividade física 

Pessoas com hipertensão correm risco maior de sofrer enfarte ou acidente vascular cerebral (AVC) 

No Brasil existem cerca de 29 milhões de hipertensos, dos quais 2 milhões têm menos de 18 anos