Cidade de Iguape recebe 5ª edição do Festival Literário

Entre 25 e 27 de maio, evento aborda a influência da Tropicália na cultura brasileira e traz convidados ilustres como Arnaldo Antunes

qua, 24/05/2017 - 20h35 | Do Portal do Governo

Moradores da cidade de Iguape, região sul do Estado de São Paulo, poderão participar da 5ª edição do Festival Literário de Iguape (FLI) entre os dias 25 e 27 de maio. Desta vez, o evento discute sobre a influência da Tropicália, movimento que sacudiu o país e revolucionou a cultura no final da década de 1960, na cultura brasileira – em especial na literatura.

Durante três dias, o FLI terá shows, sarau e mesas-redondas com a presença de artistas como como Arnaldo Antunes, Chacal, Ferréz, Carlos Calado, Paulo Lins, Ninho Moraes, Juçara Marçal, Santiago Nazarian, Camilo Vannuchi, Carla Gullo e Marco Pezão, que promoverão reflexões sobre o impacto da Tropicália na literatura brasileira.

Além disso, a população também poderá participar da feira de troca de livros. Os eventos são gratuitos e acontecem na Praça da Basílica e em três escolas da rede pública municipal de ensino.

Música e dança
No dia 25, a Companhia Viela de Danças Urbanas apresenta o espetáculo “Toda raiz tem um pouco de senzala”, discutindo a figura do opressor em um espaço de oprimidos. No sábado, 27, às 12h, ocorre o show “A Arte de Compor”, do iguapense Netto Pio.

À noite é a vez da banda “As Bahias e a Cozinha Mineira” com o espetáculo “Etc. & Tal”, show que faz referência ao hino de Caetano Veloso, “Da Maior Importância”, gravado por Gal Costa em 1973.

O grupo foi indicado ao “Prêmio Bravo! 2016” de Melhor Show e banda revelação do “Prêmio Multishow 2016”. Todos os espetáculos serão na Tenda da Praça da Basílica, no centro histórico da cidade.

SERVIÇO
Confira os detalhes da programação
Tenda da Praça da Basílica
Praça da Basílica – Centro Histórico 25/5 – Quinta-feira

20h30 às 22h
Mesa: Da margem à poesia
Ferréz e Paulo Lins
Mediação: Reynaldo Damázio
Prestes a completar 20 anos de carreira, o escritor Ferréz (“Capão Pecado”), fundador do selo Literatura Marginal, e com obras publicadas em nove países, une-se ao poeta, romancista, roteirista de cinema e televisão Paulo Lins (“Cidade de Deus”) para discutir a potência da palavra da periferia, a urgência dessas vozes e seu impacto nos âmbitos sociais e culturais atuais.

22h30
Espetáculo: “Toda raiz tem um pouco de senzala”
Companhia Viela de Danças Urbanas
A figura do opressor em um espaço de oprimidos: sequelas deixadas por um passado que assombra o dia a dia desses bailarinos-corpos em cena presentes. Feridas são expostas e a invisibilidade é o mote de gritos de liberdade, tão rara no palco e na vida. A Companhia Viela de Danças Urbanas, de Registro/SP, foi orientada pela edição de 2016 do Programa de Qualificação em Dança, das Oficinas Culturais.

26/5 – Sexta-feira
14h às 16h
Bate-papo: A aventura da Tropicália
Camilo Vannuchi e Carla Gullo
Mediação: Reynaldo Damázio
Os jornalistas Camilo Vannuchi e Carla Gullo, autores do livro “Jovem Guarda e Tropicália” (Ed. Moderna), propõem uma divertida e musical viagem aos anos 60 e 70, contando histórias e apresentando alguns dos eternizados nomes do cancioneiro popular brasileiro, como Gal Costa, Caetano Veloso e Gilberto Gil.

20h30 às 22h
Bate-papo: Literatura Marginal
Chacal e Santiago Nazarian
Mediação: Reynaldo Damázio
Ser marginal pode carregar a contradição de tornar-se o centro de uma discussão. Do movimento que rompe a tradição e com ele carrega questionamentos dos modos literários de produção e escrita vigentes, Chacal, um dos maiores expoentes da literatura marginal desde a década de 70, conversa com o romancista Santiago Nazarian, “existencialista bizarro”, autor de livros como “Biofobia”, “Feriado de Mim Mesmo” e do volume de contos “Pornofantasma”.

22h30
SARAU: “A plenos pulmões”
Marco Pezão, poeta, agitador cultural e criador do “Sarau da Cooperifa”, ao lado de Sérgio Vaz, comanda o sarau “A Plenos Pulmões”, dedicado aos amantes da poesia. É espaço para novos poetas se descobrirem e apresentarem suas produções. O microfone fica aberto para todos, e as inscrições começam uma hora antes, na Tenda da Praça da Basílica.

27/5 – Sábado
11h às 13h
Pegue Livros
Feira de troca de livros infantis, adultos e gibis. Para o público, uma oportunidade de renovar suas bibliotecas pessoais, sem custo. É recomendado que os livros estejam em bom estado e não sejam didáticos ou técnicos.

12h
Show: Netto Pio
Em seu show “A Arte de Compor”, o músico Netto Pio, de Iguape/SP, ao lado de baterista e saxofonista, canta suas principais canções autorais, como “Festa, Poesia e Canção”, “Pé na Estrada” e “Deixa o Coração”.

14h às 16h
Geleia Cultural: Tropicalismo Ontem e  Hoje
Carlos Calado e Ninho Moraes
Mediação: Reynaldo Damázio
O jornalista, editor e crítico musical Carlos Calado, autor do livro “Tropicália: a História de Uma Revolução Musical”, reflete, ao lado de Ninho Moraes, diretor geral do filme “Futuro do Pretérito: Tropicalismo Now!”, o surgimento da Tropicália e seu contexto histórico político, social e cultural, fazendo um balanço entre passado e presente.

20h30 às 22h
Contracultura: É proibido Proibir
Arnaldo Antunes e Juçara Marçal
Mediação: Reynaldo Damázio
Arnaldo Antunes e Juçara Marçal, integrante do grupo Metá Metá e formada em Letras e Jornalismo pela USP, falam sobre suas obras, impressões acerca da contracultura brasileira, refletindo o lugar do artista no contexto contemporâneo.

22h30
Show: As Bahias e a Cozinha Mineira
“Uma mulher é sempre uma mulher”: o show faz referência ao hino de Caetano Veloso, “Da Maior Importância”, gravado por Gal Costa em 1973. O repertório do espetáculo “Etc. & Tal”, indicado ao “Prêmio Bravo! 2016” de Melhor Show, é pautado no disco de estreia do grupo, intitulado “Mulher”, lançado em 2015. A banda, indicada à categoria Revelação do “Prêmio Multishow 2016”, traz Assucena Assucena e Raquel Virgínia nos vocais, acompanhadas por Rafael Acerbi, na guitarra, Rob Ashtoffen, no baixo, Carlos Eduardo Samuel, no teclado, Vitor Coimbra, na bateria, e Danilo Moura, na percussão.

Programa por cidade:
60 lugares (distribuição de ingressos 1h antes, na bilheteria do local)

Sessão comentada do filme Futuro do Pretérito: Tropicalismo Now! , com o diretor Ninho Moraes
O documentário, dirigido por Ninho Moraes e Francisco César Filho, aborda um dos movimentos culturais mais efervescentes da história do Brasil. Conecta a década de 60 aos dias de hoje, por meio de entrevistas, intervenções artísticas, esquetes e imagens de show de André Abujamra, realizado no Teatro Oficina. No elenco, Alice Braga, Gero Camilo, Gilberto Gil Carlos Meceni e Helena Albergaria.

Ninho Moraes, jornalista, documentarista e roteirista, é professor de direção na Faculdade Cásper Líbero, e vice-coordenador em RTVI. Na TV, criou programas de televisão como “Metrópolis”, “Saia Justa”, e todos os realizados por Marília Gabriela de 1985 a 2004.

Programa
60 lugares por cidade (distribuição de ingressos 1h antes, na bilheteria do local)