CDP de Caraguatatuba produz casinhas para cachorros abandonados

Iniciativa surge como solução para dar finalidade a caixas de madeira que seriam inutilizadas

seg, 25/11/2019 - 19h38 | Do Portal do Governo
DownloadDivulgação/SAP
Reeducandos do CDP de Caraguatatuba produzem casinhas para cachorros a partir de caixotes de madeiras

Caixas de madeira que iriam para o lixo ganharam outras formas no Centro de Detenção Provisória “Dr. José Eduardo Mariz de Oliveira”, o CDP de Caraguatatuba. Graças à iniciativa de dois servidores, o material passou a servir para a produção de casinhas de cachorro.

A ideia surgiu da dificuldade encontrada para descartar corretamente as caixas de madeira deixadas na unidade após a entrega de frutas e hortaliças. Luis Ernesto Mendes Alves e José Paulo Girotto, servidores que atuam no Centro de Trabalho e Educação do CDP, começaram a estudar o perfil da população carcerária da unidade para então desenvolver uma atividade laborterápica.

Nesse processo eles encontraram no conhecimento em Artes Plásticas do reeducando Marcelo, de 49 anos, uma oportunidade para dar novo significado aos caixotes. E assim surgiu o projeto “Cão tem lar, cão tem casa”. Não há gastos para a produção das casas de cachorros, uma vez que o material necessário – além da madeira proveniente dos caixotes –, como pregos, parafusos, lixas, colas, etc., é doado pela sociedade civil, por ONGs que cuidam da causa animal e até por alguns servidores que aprovaram a ideia.

“Com a concepção do projeto, agregamos valor social, já que as casinhas produzidas têm como destino entidades que cuidam de animais abandonados, incentivando, assim, a adoção e incutindo nos presos a sensação de estar contribuindo com uma ação social”, explica o diretor geral do CDP de Caraguatatuba, Alan Carlos Scarabel de Souza.

Produção e doação

Os primeiros testes começaram em julho. Desde então já foram entregues cerca de 50 unidades. Para profissionalizar a iniciativa, foi montada uma linha de produção onde trabalham, hoje, 16 reeducandos em diversas etapas do processo. Eles recebem remição de pena pelo trabalho.

Para atender os cachorros abandonados, o projeto passou a fabricar casinhas com três tipos de tamanho, levando em consideração a estatura média dos bichinhos encontrados nas ruas. O produto final não é comercializado e as casinhas são exclusivamente para animais abandonados. Já foram doadas casas para o projeto “Dia da Causa Animal”, realizado pela Prefeitura de Caraguatatuba, e para ONGs protetoras de animais da região.

De acordo com a demanda, também são doadas casinhas para o canil da Penitenciária “Dr. Tarcizo Leonce Pinheiro Cintra”, a P I de Tremembé e o abrigo que acolhe cães de rua da cidade de Taubaté.