Governo cria Gabinete de Gestão na Baixada Santista

Os secretários Fernando Grella Viera (Segurança Pública) e Edmur Mesquita (Desenvolvimento Metropolitano) assinaram nesta segunda-feira (15) a resolução conjunta que cria o Gabinete Metropolitano de Gestão Estratégica de Segurança Pública (Gamesp)

seg, 15/07/2013 - 17h42 | Do Portal do Governo

As secretarias da Segurança Pública e do Desenvolvimento Metropolitano instalaram nesta segunda-feira (15 de julho) o Gabinete Metropolitano de Gestão Estratégica da Segurança Pública (Gamesp) da Baixada Santista.

Os secretários Fernando Grella Viera (Segurança Pública) e Edmur Mesquita (Desenvolvimento Metropolitano) assinaram hoje resolução conjunta que cria o Gabinete, que tem por objetivo integrar ações de prevenção e combate ao crime na RMBS (Região Metropolitana da Baixada Santista).

Além de membros das duas secretarias, o gabinete é composto pelas nove prefeituras da Baixada Santista e representantes das polícias Civil, Militar e Federal, Ministério Público, Poder Judiciário e da sociedade civil. Também participam membros das guardas municipais e de outras secretarias que têm papel em políticas públicas de prevenção, como as secretarias de Assistência Social do Estado e dos municípios.

Durante o evento, Grella destacou a importância da integração dos órgãos para a redução da criminalidade. “A razão de ser do Gamesp é a união de esforços, de medidas concretas para melhorar a segurança pública de São Paulo”.

O secretário enfatizou que o Gamesp vai priorizar o trabalho de inteligência, visando não só a repressão do crime, mas também desenvolverá ações educativas e de prevenção em toda a região, como programas e ações socioculturais, esportivas e de lazer.

“Nós temos que atacar as causas da violência e não apenas os efeitos. Os efeitos nós combatemos com uma polícia motivada, preparada e com tecnologia de ponta. E as causas combatemos com políticas públicas através de oportunidades sociais que impeçam a geração da violência. O Gamesp entra nesse quesito, pois contribuirá com as polícias para reduzir a violência e criminalidade por meio de iniciativas sociais”.

Para o secretário do Desenvolvimento Metropolitano, a antecipação da violência, através do meio social, é a chave do gabinete. “O Gamesp terá o papel da abordagem preventiva na sociedade. Criaremos instrumentos para melhorar as áreas de cultura, esporte, lazer, desenvolvimento social”, explicou Mesquita. “Dessa forma, trabalharemos de forma integrada e com maior eficácia”.

Videomonitoramento

Como parte das ações preventivas, serão feitos estudos para a implantação de um Sistema Metropolitano de Videomonitoramento nos nove municípios da região da Baixada Santista. O mesmo estudo será realizado na região do Vale do Paraíba.

Grella destacou os benefícios que o videomonitoramento trará para a Baixada Santista. “Este é o uso da tecnologia para a área de segurança, que tornará mais efetivo o trabalho policial nas regiões”.

As análises serão desenvolvidas pela SSP em conjunto com a Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano S.A. (EMPLASA) e a Agência Metropolitana da Baixada Santista (AGEM).

Serão investidos R$ 500 mil para a realização dos estudos e a previsão é que esta fase de planejamento leve quatro meses para ser concluída nas duas regiões.

Infocrim

O Gamesp já existe na Região Metropolitana de Campinas e na região do Vale do Paraíba e do Litoral Norte. O órgão permite a atuação integrada dos diversos participantes em atividades de monitoramento e mapeamento da criminalidade, com o cruzamento de informações das polícias Civil, Militar e da Guarda Municipal com os demais bancos de dados regionais.

Uma das medidas que permitirão esta atuação integrada será o compartilhamento de dados do Infocrim (Sistema de Informação Criminal) com as prefeituras da região da Baixada Santista. A decisão de compartilhar os dados será anunciada pelo secretário Fernando Grella durante a primeira reunião do Gamesp.

“As Prefeituras poderão entrar em contato com a SSP e nós tomaremos as providências técnicas para que os órgãos competentes tenham também acesso ao Infocrim. Sem integração das polícias com o município não se faz um bom trabalho de segurança pública”, concluiu o secretário.

As ações do Gabinete também deverão contribuir para aprimorar as iniciativas já existentes, voltadas à prevenção e repressão do crime e da violência e ao aumento da qualidade de vida e sensação de segurança.