Baixada Santista cria 1.020 empregos formais em março

Aumento foi de 0,3% em relação a fevereiro de 2023

qua, 17/05/2023 - 16h02 | Do Portal do Governo

A Baixada Santista teve aumento na criação de empregos formais no terceiro mês do ano. O setor de serviços impulsionou o resultado positivo de março deste ano, com 888 postos. Em seguida temos a construção, que criou 184 empregos formais, indústria, como 124 postos, e agricultura, com 11. O setor de comércio recuou, perdendo 187 postos.

O emprego formal no estado de São Paulo aumentou 124% em março de 2023, na comparação com o mesmo período do ano passado, conforme levantamento da Fundação Seade. Foram criados 51 mil postos de trabalho, mais do que o dobro em relação aos 22 mil gerados em março de 2022.

O crescimento foi puxado principalmente pelo setor de serviços – com destaque para transportes, armazenagem e entregas -, com 37 mil postos; e construção, com outros 9 mil. Na indústria foram criadas 6 mil vagas e o agro registrou relativa estabilidade.

Entre as diferentes regiões do Estado, a Metropolitana de São Paulo foi a que registrou o desempenho mais expressivo, com a geração de mais de 20 mil empregos durante o mês de março de 2023. Também apresentaram saldo positivo no emprego no período as regiões administrativas de Campinas (8 mil), São José do Rio Preto (4 mil) e Franca (2,6 mil).

Somente na capital paulista foram cerca de 14 mil postos de trabalho no mês, com destaque para o setor de serviços seguido pela construção civil.

O estudo

O estudo desenvolvido pelo Seade sobre mercado de trabalho aplica dados do Caged divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Para as unidades da federação e regiões, foram utilizados dados com ajustes e estoques de empregados do início de janeiro de 2023.

O levantamento completo sobre o emprego no estado de São Paulo e regiões paulistas está disponível em https://trabalho.seade.gov.br/ .

Sobre o Seade

Há mais de 40 anos, o Sistema Estadual de Análise de Dados é referência nacional na produção e disseminação de análises e estatísticas socioeconômicas e demográficas de São Paulo. Os principais levantamentos englobam mercado de trabalho, tecnologia, pesquisas econômicas (PIB, investimentos, etc.), população, mortalidade e natalidade, entre outros.