USP: Escola de Comunicações e Artes terá órgão de análise da mídia brasileira

Iniciativa de avaliação crítica da imprensa pretende ser mais um espaço para a pesquisa científica da comunicação no País

ter, 21/09/2004 - 21h10 | Do Portal do Governo

Uma parceria entre o Núcleo de Jornalismo Comparado, da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, o Instituto Observatório Nacional e o Media Watch Global (observatório internacional dos meios de comunicação, com sede na França) possibilitou a criação do Observatório Brasileiro de Mídia, uma iniciativa de avaliação crítica da imprensa que pretende ser mais um espaço para a pesquisa científica da comunicação no País.

Nesta quarta-feira, dia 22, o Observatório Brasileiro de Mídia será apresentado em um evento no Departamento de Jornalismo e Editoração da ECA, a partir das 14h30. Na ocasião, serão divulgados os resultados do primeiro levantamento feito pelo Observatório, referente às eleições municipais de São Paulo. ‘Pesquisamos as notícias que citavam os candidatos à Prefeitura nos cinco jornais de maior circulação na Capital – Folha de S.Paulo, O Estado de S.Paulo, Jornal da Tarde, Agora e Diário de S.Paulo’, revela Carlos Carolino, coordenador do projeto.

‘Analisando de forma interpretativa o conteúdo e o título das matérias, pudemos classificá-las em ‘positiva’, ‘neutra’ ou ‘negativa’ em relação ao candidato ao qual se refere.’ Segundo Carolino, uma notícia é considerada ‘positiva’ quando pode agregar votos a um determinado candidato. Classifica-se como ‘negativa’ uma reportagem que desqualifica a figura política do candidato e, teoricamente, prejudica seu desempenho junto ao eleitorado.

Diferencial

A diferença entre o Observatório Brasileiro de Mídia e os demais órgãos que avaliam o conteúdo produzido pela imprensa é o que Carolino chama de ‘morfômetro’. ‘Trata-se de uma espécie de índice que mede o destaque das matérias pela posição em que ela se encontra na página do jornal, pelo seu tamanho e pela presença de fotos ou infográficos’, explica o coordenador. ‘Os dados obtidos na análise com o morfômetro são cruzados à avaliação positiva, neutra ou negativa da matéria, proporcionando uma observação mais acertada do comportamento do veículo na cobertura do evento.’

Carolino faz questão de frisar que o Observatório Brasileiro de Mídia não tem como objetivo tecer comentários ou fazer análises políticas sobre os resultados das pesquisas. ‘Nosso intuito é somente levantar e apresentar dados concretos sobre a imprensa. Deixamos para outras pessoas avaliarem se os jornais cobriram de forma adequada as eleições ou se cometeram injustiças’, esclarece.

O Observatório Brasileiro de Mídia pretende debruçar-se sobre outros assuntos. ‘As eleições, pela importância que possuem para a sociedade e para os veículos de comunicação, foi o primeiro passo do projeto’, afirma Carolino. Para ele, o mais importante nessa fase inicial é o fato de o Observatório estar desenvolvendo ferramentas que poderão ser aplicadas a outros temas, conforme eles forem abordados pela mídia.

Tadeu Breda – Agência USP