Transportes: Movimento de Cargas na Hidrovia Tietê-Paraná cresce 22% em 2004

Comparação é feita com o primeiro trimestre do ano passado

ter, 13/04/2004 - 18h19 | Do Portal do Governo

A Hidrovia Tietê-Paraná apresentou aumento de 22% no transporte de cargas nos três primeiros meses de 2004 em relação à movimentação de cargas de janeiro a março do ano passado.

Segundo o diretor do Departamento Hidroviário da Secretaria de Estado dos Transportes, Oswaldo Rosseto Júnior, o crescimento aconteceu principalmente em função da implantação de uma nova rota de transporte, entre Três Lagoas (MS) e Santa Maria da Serra (SP), e da inauguração de dois novos terminais – Três Lagoas e Bataguaçu (ambos no Mato Grosso do Sul). “Os investimentos públicos, em melhorias na via, e os privados, na construção de armazéns e terminais, fazem com que a Hidrovia seja o modal de transporte que mais cresce atualmente”, afirmou Rosseto.

Outro fator que contribuiu para o crescimento do transporte foi o aumento de 104% na carga de farelo de soja transportada.

A expectativa para 2004 é de que a movimentação na Hidrovia Tietê-Paraná aumente 12% em relação ao acumulado do ano anterior. Isso será possível em função da consolidação de alguns produtos transportados experimentalmente no ano passado, como o milho, sorgo, trigo e açúcar, e do início de operação de um novo terminal de Três Lagoas.

Características

A Hidrovia Tietê-Paraná tem 2.400 quilômetros de vias navegáveis, desde Piracicaba e Conchas (SP) até Goiás e Minas Gerais, ao Norte, e Mato Grosso do Sul, Paraná e Paraguai, ao Sul. Liga cinco dos maiores estados produtores de soja do País e é considerada a Hidrovia do Mercosul.

Dos trinta terminais de carga instalados ao longo do percurso, os principais são os de Pederneiras (SP), com capacidade para movimentar 6 milhões de toneladas/ano de grãos, e os de Anhembi (SP) e São Simão (GO). Hoje, grãos embarcados no rio Paranaíba, em São Simão, chegam a Pederneiras pela hidrovia, num percurso de aproximadamente 700 quilômetros, e depois seguem para São Paulo e para o Porto de Santos via ferrovia. A ligação tornou-se possível com a abertura do Canal de Pereira Barreto, que liga o rio Tietê ao tramo norte do rio Paraná, chegando ao Centro-Oeste do País.

Da Assessoria de Imprensa da Secretaria dos Transportes

M.J.