Tecnologia: Embalagens da Unicamp prontas para as empresas

Ineditismo dos produtos tem despertado interesse de empresas públicas e privadas

sex, 13/02/2004 - 10h34 | Do Portal do Governo

Do Portal da Unicamp
Por Maria Alice da Cruz

O ineditismo de produtos desenvolvidos por pesquisadores da área de embalagens da Unicamp tem despertado o interesse de empresas públicas e privadas. Diante disso, a Agência de Inovação (Inova) da Unicamp está divulgando uma relação de cinco patentes aplicadas ao setor para atrair o interesse de mais empresas. O que era só um projeto passa a ser um produto pronto para ser oferecido ao mercado.

Os produtos desenvolvidos apresentam vantagens em relação aos equivalentes disponíveis no mercado. Leonard Sebio, doutor pela Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA) da Unicamp provou isso ao realizar a pesquisa “Plástico biodegradável desenvolvido à base de amido e gelatina pelo processo de extrusão”. O material já atraiu o interesse de empresas do setor.

Ao lado do orientador Yoon Kil Chang, Sebio chegou a um material que pode ser um seguro substitutivo dos plásticos sintéticos ou dos papéis e papelões na fabricação de descartáveis, como pratos, copos, bandejas, talheres, pastas de documento, vasos de flores, entre outros. Além das características inovadoras, o plástico alternativo, de acordo com o pesquisador, tem um potencial de degradação total no ambiente, por ser oriundo de uma fonte natural renovável.

Os filmes fotodegradáveis derivados do polietileno desenvolvidos por Marco Aurélio De Paoli e Ralf Giesse, do Instituto de Química, também despertaram interesse no setor privado. O produto desenvolvido durante projeto de doutorado de Giesse, sob orientação de De Paoli, possui alto potencial no setor de embalagens, de acordo com os pesquisadores.

O processo incorpora, posteriormente à fabricação do filme, a substância que promove e facilita a fotodegradação do polietileno. O aumento de custo é de cerca de 10% sobre o valor do polietileno comum, mas entre as principais vantagens está a não-obrigatoriedade de se modificarem os processos de produção de filmes de polietileno já implantados nas fábricas.

De acordo com a Agência de Inovação, existem mais cinco patentes prontas na área de embalagens. Alguns pesquisadores garantem que os produtos pesquisados por eles não têm similares no mercado.

Com 300 patentes criadas, algumas concedidas e outras em processo de concessão, a Unicamp tem como meta, por intermédio da Inova, fazer dez licenciamentos novos anualmente. A agência selecionou 70 delas para abrir negociação com empresas dos setores privado e público.

Mais informações podem ser obtidas no site www.unicamp.br
V.C.