Solidariedade: Lu Alckmin visita entidades que atendem portadores de deficiências

Presidente do Fundo Social entregou Padaria Artesanal em escola da Mooca

qua, 15/09/2004 - 16h02 | Do Portal do Governo


Maria Vitória Medeiros Leite tem oito anos e há quase três pratica basquete. Como toda criança, ela também gosta de cantar e dançar, por isso, além do basquete, faz aulas de música, onde participa de apresentações. Tudo isso em uma cadeira de rodas. “Eu gosto. Me sinto feliz”, afirma Maria Vitória, que quer ser modelo quando crescer. Ela não sabe, mas já é um exemplo para toda a sociedade, superando limites diariamente como se fosse apenas uma brincadeira.

Nesta quarta-feira, dia 15, Maria Vitória esteve no Espaço Cultural da Estação Brás, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), onde pôde assistir a algumas atividades da IV Semana de Solidariedade, promovida pelo Fundo Social de Solidariedade do Estado (Fussesp).

Ela assistiu a uma partida de basquete em cadeira de rodas do time Magic Hands, da Associação Desportiva do Deficiente (ADD), e também a uma apresentação musical em linguagem de sinais por crianças da Escola Municipal Ione Gonçalves Oliveira de Conti, de Guarulhos, que embora tenha apenas três portadores de deficiência auditiva entre seus 1.200 alunos, tem a linguagem de sinais entre suas disciplinas, como forma de evitar a exclusão dos portadores de deficiência e conscientização das crianças.

Também pôde ver a mostra ‘Vencedores’, do fotógrafo Érico Hiller, que fica em cartaz no Espaço Cultural da CPTM até o dia 30 de setembro, com imagens de superação, como a do surfista com perna mecânica.

“Nessa Semana de Solidariedade queremos chamar toda a população do Estado de São Paulo a se sensibilizar, respeitar e participar da busca pela inclusão social das pessoas portadoras de deficiência. E que não seja apenas uma semana, mas sim todos os dias”, destacou a presidente do Fussesp, Lu Alckmin.

A Semana de Solidariedade este ano é dedicada às pessoas portadoras de deficiência. O objetivo é envolver e sensibilizar a população, propiciando a disseminação de ações de solidariedade e responsabilidade social para o desenvolvimento efetivo da cidadania.

Visitas a entidades de atendimento ao portador de deficiência

A presidente do Fussep lembrou que, até a próxima terça-feira, dia 21, vai percorrer 14 entidades assistenciais da periferia de São Paulo que atendem portadores de necessidades especiais. O objetivo é verificar as condições dessas unidades e ajudar no que for possível.

Nesta quarta-feira, ela esteve na Escola Especial para Educação de Excepcionais 4E, no bairro da Mooca, Zona Leste da Capital, onde entregou um kit de Padaria Artesanal para que os usuários da unidade possam aprender a fabricar pães.

A entidade recebe crianças portadoras de deficiência em grau avançado e, por isso, sem condições de freqüentar a rede pública de educação. Preocupado com o atendimento dessas crianças, o Governo paulista colabora com esse trabalho, repassando verbas para unidade.

Lu Alckmin informou que essa unidade será reformada com a colaboração de parceiros do Fussesp. “Órgãos do Governo e a sociedade civil se comprometeram conosco e estão ajudando. Já doaram alimentos e vão colaborar com reformas em algumas unidades. As pessoas querem ajudar, mas muitas vezes não sabem como. E a Semana de Solidariedade vai mostrar isso”, disse.

Os produtos mais solicitados pelas entidades são cadeiras de rodas. Quem quiser fazer doações ao Fussesp, deve entrar em contato pelos telefones (0xx11) 3874-6952 ou (0xx11) 3874-6738, com Milene.

“Nós sempre informamos aos doadores a instituição que recebeu o donativo, para que as pessoas possam ver o bem que fizeram”, afirmou Lu Alckmin.

Empregabilidade

Durante toda a semana, Lu Alckmin vai chamar a atenção para a importância da formação profissional dos portadores de deficiência. Ela lembrou que o Fussesp oferece diversos cursos voltados a esse público, na Estação Especial da Lapa, bem como entidades assistenciais espalhadas pelo Estado.

A presidente do Fussesp ressaltou que os portadores de deficiência precisam apenas de uma oportunidade, por isso, durante esta semana, vai buscar atrair as empresas para que utilizem mais essa mão-de-obra. “É importante que as empresas procurem as entidades que oferecem cursos profissionalizantes para portadores de deficiência e contratem essas pessoas. Elas surpreendem. Só precisam de uma oportunidade”, apontou.

Acesso em trens e Metrô

Facilitar o acesso de portadores de deficiência as transportes sobre trilhos é uma das preocupações do Governo paulista. Atualmente, todas as Estações do Metrô e 50 estações de trem da CPTM contam com equipamentos de acessibilidade para deficientes, como rampas e acessos. No futuro, todas as Estações da CPTM deverão contar com esses equipamentos. As estações ainda não adaptadas são aquelas muito antigas, algumas construídas há cerca de 140 anos, e que necessitam de mais recursos para a intervenção.

Cíntia Cury