Serviço: Ipem-SP faz aferição de taxímetros em São Carlos

Plantão de atendimento ocorrerá nesta segunda-feira; aferição do equipamento é obrigatória para todos os taxistas

dom, 07/08/2005 - 15h03 | Do Portal do Governo

O Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo (Ipem-SP) oferece nesta segunda-feira, 8 de agosto, um plantão de atendimento aos taxistas de São Carlos para a aferição dos taxímetros. A ação ocorre na avenida Comendador Alfredo Mafei, s/nº, a partir das 9 horas.

Os plantões de atendimento aos taxistas são feitos periodicamente para regularizar aqueles taxímetros que não foram aferidos no momento da verificação anual obrigatória. Em São Carlos, a última foi em 21 de março. Depois dessa data, o Ipem-SP já realizou um plantão no dia 20 de junho e faz esse na segunda-feira, além de ter outros dois programados para 10 de outubro e 5 dezembro.

A aferição do taxímetro é obrigatória a todos os taxistas, que não podem rodar nas praças do Estado, onde esse serviço é previsto, sem estarem com o aparelho devidamente lacrado e verificado. Na constatação da infração, o taxista poderá ser penalizado administrativamente pelo Ipem-SP e chegar a pagar multas entre R$ 100 a R$ 50 mil, dobrando na reincidência.

Existem em São Carlos, registrados pelo Instituto de Pesos e Medidas, 111 taxímetros. Na cidade o valor inicial da corrida do táxi é de R$ 4 e o quilômetro rodado na bandeira 1 é R$ 1,70; na bandeira 2 – R$ 2,20. O preço cobrado pelos serviços dos táxis é uma equação entre os quilômetros rodados e seus respectivos valores nas bandeiradas.

Durante o plantão será entregue, também, o selo Taxímetro Legal. O selo é feito de um material alaranjado luminoso especialmente produzido para refletir a luz no escuro. Nele é possível ler: Taxímetro Legal tem lacre amarelo numerado, Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo, Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania.

O selo é dado gratuitamente aos taxistas durante a verificação dos taxímetros. Contudo, é importante lembrar, ele não é obrigatório. Ou seja, o taxista irá afixá-lo no pára-brisas se quiser. A iniciativa é uma forma de alertar o usuário de táxi sobre a importância do lacre nos taxímetros, pois nenhum táxi pode circular, no Estado, sem o lacre – garantia de idoneidade do taxímetro.

O Ipem-SP desempenha um trabalho fundamental para a categoria, pois os taxímetros (tecnicamente medidores de comprimento) têm de passar por uma vistoria metrológica para serem colocados em funcionamento. A verificação anual e os plantões de atendimento são fundamentais à segurança dos passageiros na hora de pagar pelas corridas de táxi. Ela evita a adulteração dos aparelhos, como as popularmente conhecidas “turbinas”, sistemas elétricos adaptados aos taxímetros a fim de encarecer os valores cobrados pelo serviço.

Os valores das tarifas cobradas pelos taxistas são determinados pelo município e algumas prefeituras autorizam o serviço de táxis especiais, como na capital, onde há, também, as categorias luxo e especial, cujas tarifas são maiores em relação às praticadas por táxis comuns. Por isso, para se evitar aborrecimentos, é necessário observar a existência do lacre amarelo no taxímetro, ele foi colocado ali pelos técnicos do Ipem-SP no final das vistorias. Fique atento, ainda, a data de validade escrita no selo do Inmetro, é obrigatória a existência desse selo.

Dúvidas, informações ou sugestões sobre o assunto podem ser obtidas pelo telefone da Ouvidoria do Ipem-SP: 0800.13.05.22, de segunda à sexta-feira, das 8h às 17 horas. A ligação é gratuita e pode ser feita de qualquer um dos 645 municípios do Estado.

Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania
Assessoria de Imprensa

(RK)