Saúde: Secretaria define regiões que terão unidades sentinela contra Gripe Aviária

Reunião de especialistas acertou unidades que devem virar postos de identificação do vírus que causa a doença

ter, 01/11/2005 - 15h44 | Do Portal do Governo

A Secretaria de Estado da Saúde definiu nesta terça-feira, 1º de novembro, as unidades do Estado que devem ser postos sentinela para identificação de possível vírus causador da Gripe Aviária. A definição ocorreu em reunião de especialistas que formam uma força-tarefa do Estado contra a doença.

Além de duas unidades que hoje já são sentinelas (Hospital Menino Jesus e Hospital José Storopoli), ambas na capital, a Secretaria programa implantar sentinelas em Campinas, Ribeirão Preto, Guarulhos e alguma cidade da região oeste do Estado, além de uma no Hospital São Paulo (da Universidade Federal de São Paulo) e uma em cidade da Grande São Paulo ainda a ser definida. A Secretaria ainda estuda a necessidade uma nona unidade na Baixada Santista.
Comandada por Carlos Magno Fortaleza, coordenador de Controle de Doenças da Secretaria, a reunião reuniu alguns dos maiores especialistas em Saúde do Brasil, como o diretor do Instituto Butantan, Otávio Mercadante, o diretor do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, Sebastião André de Felice, e o diretor-clínico do Hospital das Clínicas, Marcos Boulos.

A reunião ainda definiu que na primeira semana de dezembro a Secretaria realizará uma mega-capacitação de profissionais de Saúde. Cerca de 1.000 pessoas virão a São Paulo para se atualizarem sobre Gripe Aviária.

‘A Gripe Aviária não tem registros confirmados de transmissão do vírus entre humanos. Portanto, não há qualquer motivo para pânico. O Estado de São Paulo sai na frente, adotando medidas cautelares para garantir segurança e tranqüilizar a população’, afirma o secretário de Estado da Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata.

Assessoria de Imprensa da Secretaria da Saúde